Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

28 de dez de 2008

Baú

Depois de certo período sem escrever, decidi que estava na hora de voltar a calmaria e colocar as idéias batutas a funcionar.
Últimos dias foram para avaliar, rever, aceitar, confundir, ouvir, falar, entender e o mais importante: descansar.
O descanso foi mais mental do que físico. Incensos, músicas celtas (e também Los Hermanos + Rafael Bernardo), Fezita no apê, idas ao Vitrine e Studio SP, chocotones, balas de maçã verde, unhas sem esmalte, cabelo sem chapinha, celular quebrado, sonos no sofá, fotos legais...

Mas antes que 2009 “bata” em minha porta e entre sem pedir licença, tenho certas coisas a cumprir por essas bandas. Fazer um corte moderno seria interessante...mas a preguiça de ir ao salão de beleza faz procrastinar tal desejo assim como ganhar um bronzeado artificial para tirar o tom “mofo” da pele.

Prioridades em fazer o que gosto como escrever, ler magazines e livros que só comecei são parte de uma listinha blasé e intransferível.

Já houve um tempo em que jogar dentinho de leite para a Fada, escrever para o Papai Noel, dar maçã ao Duende de resina_gesso ou virar Santo Antonio de cabeça para baixo eram coisas rotineiras.

Tempos novos, chances novas e vontades que começam a cada instante.

O velho amor virou caneta sem tinta ao lado da agenda telefônica.

E o novo...ah esse aí o tempo ficou por cuidar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário