Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

6 de dez de 2008

"Felicidade é um bem natural" (MPB-4)

“Se soubesse que seria assim, nem perto de você ficaria.
Quem diria que após as brigas você estaria tão bem (e gosto).
Tua tristeza comovia meu lamento e fazia um abrigo em teu coração.
Ficamos em desuso.
A dor nos unia.
Agora a felicidade nos afasta e isso é estranho.
Tira isso de mim e leva o mais distante possível!
Não sei lidar com tanta confusão.
Apenas o que sei é que sem você o mundo perde a graça, o sabor e o frescor de dias memoráveis.
“Vai pra longe, mas deixa a tua dor onde morei tão bem.”

Lá no alto veremos o que fizemos e o que deixamos de fazer e a graça tomará conta de nós.
Insanos, tolos e delinqüentes.
Acho que isso resume nosso passado.
Vivemos na corda bamba.
Mas não no perigo que nunca deixamos existir em nosso cantinho.
Hoje o encanto passou por nós.
Mas só a mim ele tocou.
Você continua aí, intacto.
Mas até quando seremos assim¿
Por trás dessa muralha que construí você fez paisagem.
E o mundo tenta descobrir quem é você.
E eu só quero que você descubra esse mundo em mim.”


Mais um pensamento da série "Minha vidinha démodé"

Nenhum comentário:

Postar um comentário