Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

29 de nov de 2008

Uma idéia. Uma vontade.

Hoje a noite não acaba.
Mas o dia chega de mansinho.
Domingo.
O último de novembro de 2008.
Pesquisando através de sites e vídeos o meu próximo ninho de idéias.
E a cada descoberta, faz do lugar algo fascinante.
Talvez por ser simples e estranhamente bonito (aos meus olhos).
Mas um de seus freqüentadores, não “anda pelas bandas de lá” nesses tempos.
Talvez seja por isso que quero ir.
Saber o pq ele fala, conhece e seduz tão bem.
Quem sabe a saudade passa.
Ou corre o risco em aumentar.
Enquanto a noite não encerra, a minha vontade segue solta na minha imaginação.

O novo.

Os pedaços estão espalhados.
Cada parte que quebrou, multiplicou-se pelo chão.
Juntar os cacos faz parte da vida.
Esse é o processo.
Reinventar-se. (sábia Cecília Meireles)
Tudo será como antes em algumas situações.
Acordar, sonhar, viver e dormir.
Mas a força que sobrou, essa não está fragmentada.


"Minha vidinha.." - a saga continua.

Humanas


Ele já foi comércio exterior.
Ele já foi engenheiro de produção.
Ele já foi técnico em eletrônica.
Ele já foi ciência da computação.
Esse foi o caminho que meu coração percorreu.

Hoje ele está com “ar” de Humanas. A minha área.

Andei pouco, mas o mapa eu que fiz.
Ele escolheu pessoas certas naqueles momentos.
Ele já colheu boas estórias para os futuros netos.
O que mais há de vir¿

Foi, será.
Hoje apenas “é”.
Assim como já foi um dia, mas com uma dose melhor de escolhas, caminhos e estórias.

Post-it

Tantas coisas a fazer.
O tempo passa "num" piscar de olhos.
Mas a pressa não está presente em mim.
Estou com a lentidão ao meu lado.
Mas hoje essa sensação mudou um pouco.
Queria que o Natal e Ano Novo fossem passado.
Saberia então se você ficaria aqui ou aí.
Enquanto isso, tento fazer as pazes com a velha calmaria.
Assim envelheço melhor.
E te aprecio com o mesmo frescor do começo.
Aquele apego sutil.

Como no velho balcão onde tudo ganhou cor e história.