Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

29 de dez de 2009

Recomendo...again!

E a última recomendação da madruga de segunda pra terça (tive um motivo que me fez perder o sono....já são 6 am e nem de leve ele apareceu (o sono, rs)...

A música mega antiga do Cidade Negra..."Minha Irmã".

Vale a pena ouvir...mais de uma vez.

Brisa louca!

Linda demais

Se puder...vá ao Youtube...e procure Bethânia ao lado de Caetano e Dona Canô cantando "Foguete"...é de emocionar...simples e bonito.

"Foguete"

Composição: J. Velloso/ Roberto Mendes

"Tantas vezes eu soltei foguete
Imaginando que você já vinha
Ficava cá no meu canto calada
Ouvindo a barulheira
Que a saudade tinha
É como diz João Cabral de Mello Neto
Um galo sozinho não tece uma manhã
Senti na pele a mão do teu afeto
Quando escutei o canto de acauã
A brisa veio feito cana mole
Doce, me roubou um beijo
Flor de querer bem
Tanta lembrança este carinho trouxe
Um beijo vale pelo que contém

Tantas vezes eu soltei foguete
Imaginando que você já vinha
Ficava cá no meu canto calada
Ouvindo a barulheira
Que a saudade tinha
Tirei a renda da nafitalina
Forrei cama, cobri mesa
E fiz uma cortina
Varri a casa com vassoura fina
Armei a rede na varanda
Enfeitada com bonina
Você chegou no amiudar do dia
Eu nunca mais senti tanta alegria
Se eu soubesse soltava foguete
Acendia uma fogueira
E enchia o céu de balão
Nosso amor é tão bonito, tão sincero
Feito festa de São João"

28 de dez de 2009

Belezura

"Depois de ter você
Pra que querer saber
Que horas são?"


Na voz de Bethânia.

Assim como no Twitter:

"Sou solta na vida
E sob medida
Pros carinhos seus
Meu amigo
Se ajeite comigo
E dê graças a Deus"

Chico...sábio Chico.

Vendo o dia amanhecer...

Como diria Arnaldo Antunes “a dor é de quem tem”.
Assim abro este texto.

Ai que saudade dos tempos de meninice.
Onde a cafonice, a inocência e a brincadeira andavam de mãos dadas.
Tudo era motivo de festa, choro ou sono.
Ainda é assim. Menos intenso, mas é.
Gostava do nerd, do isolado, do tímido e do magricela.
E tinha sempre um que me dava a leveza e as melhores lembranças.
Ai que saudade que insiste em bater.
Mas uma hora ela passa, assim costumam dizer.

Hoje gosto dos nerds, dos isolados, com voz de fumante ou dos que escrevem bem.
Mas gosto ainda mais daqueles que abraçam o mundo como se ele fosse uma bola de futebol. Desses que distribuem caronas, sorrisos, afagos, proteção...coisa que um dia foi ciúme, hoje é a mais pura admiração.




“Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. Como diria Caetano Veloso. Assim faço desfecho neste texto.

"Eu vou fundo na existência
E para nossa convivência
Você também tem que saber se inventar"

27 de dez de 2009

Dona Canô

Dona Canô e suas lições de vida: 3 palavras de ordem:

"Amor, festa e devoção"

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=LbSC9yOqcaA


P.S.: Família bonita e encantadora.

Poder da caneta.

Paulo César Pinheiro. Já escrevi sobre ele. E quando ouvi a canção dele no novo cd da Maria Bathânia...estava ali o homem que encantou a mulher que tanto admiro: Clara Nunes.


Composição: Dori Caymmi e Paulinho Pinheiro


Quando o amor se hospedou
Todo o mal se desfêz
Toda dor teve fim
Pois quem cuida de mim
É o amor outra vez

É o amor que dá vida ao meu peito
Prá eu jamais ver o tempo passar
É o amor que dá paz ao meu leito
E me ensina a sonhar
Só o amor faz um bem tão bem feito
Que o destino não vai desmanchar

Só uma coisa no amor não tem jeito
É ter medo de amor
Mas agora que eu sei
Todo o bem que me fez
Vou seguir sua lei
No meu peito meu rei
É o amor outra vez

É o amor"

Somar...

ESSA MÚSICA TEM TUDO A VER COM O POST "DEVANEIOS".

Canção de Arnaldo Antunes.

Nome: 2 perdidos

"Quando eu quis você
Você não me quis
Quando eu fui feliz
Você foi ruim
Quando foi afim
Não soube se dar
Eu estava lá mas você não viu
Tá fazendo frio nesse lugar
Onde eu já não caibo mais
Onde eu já não caibo em mim

Quando eu quis você
Você desprezou
Quando se acabou
Quis voltar atrás
Quando eu fui falar
Minha voz falhou
Tudo se apagou você não me viu
Tá fazendo frio nesse lugar
Onde eu já não caibo mais
Onde eu já não caibo em mim

Mas se eu já me perdi
Como vou me perder
Se eu já me perdi
Quando perdi você"

Opção A

Que maravilha.
Já dediquei parte desta canção para 2 grandes pessoas. Dessa vez...de forma completa...apenas dedico ao blog (para quem gosta de Chico Buarque tão quanto eu)

:)

Canção: Todo sentimento

"Preciso não dormir
Até se consumar
O tempo da gente.
Preciso conduzir
Um tempo de te amar,
Te amando devagar e urgentemente.

Pretendo descobrir
No último momento
Um tempo que refaz o que desfez,
Que recolhe todo sentimento
E bota no corpo uma outra vez.

Prometo te querer
Até o amor cair
Doente, doente...
Prefiro, então, partir
A tempo de poder
A gente se desvencilhar da gente.

Depois de te perder,
Te encontro, com certeza,
Talvez num tempo da delicadeza,
Onde não diremos nada;
Nada aconteceu.
Apenas seguirei
Como encantado ao lado teu."

Aniversário.

Hoje, dia 27 de dezembro...é aniversário de uma das pessoas que mais amo e a única que eu olho e penso: "Quero ser 2% guerreira como ela é, já tyá bão d+"

Minha avó Cida Proni.

A melhor chef de cozinha, o melhor colo, o melhor abraço, os melhores conselhos, as broncas mais doídas, a mais religiosa, a mais andarilha e dos cabelos bonitos.

Ela não lê meu blog pois está sempre ocupada.
Mas fica aqui meu afago.

25 de dez de 2009

Antes ..



"Não vai voltar
o tempo,
os dias
Em que tudo ainda estava no lugar, abra os braços, abrace o que sobrar"

grande Herbert.










23 de dez de 2009

Nem eu esperava.

Nessas buscas...encontrei o cd novo da Mallu Magalhães.

Indico o link do UOL: http://www.radio.uol.com.br/volume/mallu-magalh%C3%A3es/mallu-magalh%C3%A3es/19185

As músicas encantadoras:

"É Você que tem"
"Te acho tão bonito"


Muito fofas. Mesmo.

Muito açúcar.

Hoje, ou melhor, agora pela madruga (já que passei o dia dormindo, graças aos medicamentos para uma gripe chatinha), achei raridades musicais e divido com quem tiver interesse em ouvir e apreciar também:

Artista: V. V. Brown
Canção: Crying Blood

Artista: Gilberto Gil e Maria Rita
Canção: Amor até o fim.

Artista: Diogo Poças e Céu
Canção: Nada que te diz respeito

Artista: Diego Moraes
Canção: Garçom

E o cd novo da Norah Jones...

20 de dez de 2009

Sempre.

Caio Fernando Abreu salva qualquer pensamento torto.

"para seu próprio bem guarde este recado: alguma coisa sempre faz falta. Guarde sem dor, embora doa, e em segredo."

"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu. "

"Olha, eu estou te escrevendo só pra dizer que se você tivesse telefonado hoje eu ia dizer tanta, mas tanta coisa. Talvez mesmo conseguisse dizer tudo aquilo que escondo desde o começo, um pouco por timidez, por vergonha, por falta de oportunidade, mas principalmente porque todos me dizem que sou demais precipitado, que coloco em palavras todo o meu processo mental (processo mental: é exatamente assim que eles dizem, e eu acho engraçado) e que isso assusta as pessoas, e que é preciso disfarçar, jogar, esconder, mentir. Eu não queria que fosse assim. Eu queria que tudo fosse muito mais limpo e muito mais claro, mas eles não me deixam, você não me deixa" (ESSE É O MEU PENSAMENTO DE AGORA. PQ ELE MANDA RECADO PARA A DRI VIA MSN E NÃO ME DIZ CARA A CARA?)

"Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente? Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais -por que ir em frente? Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia –qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido.Eu prefiro viver a ilusão do quase, quando estou "quase" certa que desistindo naquele momento vou levar comigo uma coisa bonita..."

Ele sempre soube das coisas...sempre.

Devaneios.

Da série...

A lágrima que se formou nem escorregou pelo rosto. Foi direto ao chão. Era pesada. Ali continha o desejo do passado. A maquiagem nem foi destruída. Mas os olhos permaneceram tristes. Evitar? Para quê?

Mais um ano que passou e ele nem perguntou por mim. Como pode ser assim?

Tento sempre fazer o mesmo. Mas há uma diferença entre nós: ainda há amor em mim.

18 de dez de 2009

COISAS BUROCRÁTICAS.

Lá estava na sala de espera aguardando ser atendida.
Ouço meu nome e não encontro o dono da voz.
Caminho e chego diante da primeira sala do corredor. A porta estava aberta. Pensei: "Esse médico folgado nem pra levantar essa bunda velha e vir me buscar"
Dito e feito.
Lá estava aquele homem, com uma pele sem vida, jaleco branco de 10 anos, com aquele óculos de tartaruga com lentes verdes. E dentes cinzas. Nem me olhou direito e pediu para que sentasse.
Pediu nome completo, data de nascimento.
Daí começaram aquelas perguntas cretinas que não levam a lugar nenhum pois quem deveria me dizer era ele e não eu.

- Seu nome completo por favor.
- Carolina Azevedo.
- Idade?
- 27 anos.
- Altura?
Pensei e imaginei "pq esse filha da puta não usa aquela máquina ali encostada e mede?"- respirei fundo e disse:
- Gostaria em ter 1.70.
- Peso?
Pensei e imaginei "pq esse filha da puta não usa aquela máquina ali encostada e pesa esse corpo gordo?"- respirei fundo e disse:
- Talvez uns 80.
O sujeito, levantou aquele olhar cansado e estagnado e disse:
- Não, 80 você não tem mesmo.
Eu, apenas sorri com aquele sorriso amarelo e disse:
- Há mais de meses não acho uma balança que não cobre 50 centavos para isso.
Ele, percebendo meu stress (pudera: foram 45 minutos de espera para uma fila de 3 pessoas) logo sorriu.
- Vamos para as perguntinhas básicas: Você já sofreu alguma fratura?
- Não.
- Já sofreu algum acidente de trabalho?
- Não (stress é considerado?....pensei)
- Já teve alguém na família com hepatite, diabetes, câncer?
- Sim.
- Toma algum tipo de medicamento?
- Não.
- Tem algum tipo de alergia?
- Sim. Paçoca.
- Você fuma?
- Não.
- Você bebe?

Silêncio de 5 segundos.

- Sim.
- Mensal, quinzenal, semanalmente?

Silêncio de 5 segundos.

- Uns 3 dias por semana.

Silêncio de 10 segundos.

- Senta ali na maca.
Pegou o medidor de pressão, um palito de sorvete.
Não houve diálogo.
Nem queria.

Entregou um formulário e pediu para fazer o exame oficial.

Saí de lá com a seguinte sensação:

Na verdade, eu ali ou eu em um divã daria na mesma. A diferença é que dá a impressão de que fui curada.
Por mim mesma.

14 de dez de 2009

Porta "entreaberta"

Mais "Minha vidinha démodé":

"Longe da sutileza prevista, ele tinha um desapego por pessoas que causava tamanha estranheza.
Um dia gostava, e se notasse algo fora do tom, no dia seguinte nem lembrava do ontem.
Motivos não faltavam para desfazer laços: cigarros, bebedeiras com direito a pastelão, unhas vermelhas, cabelo curto, pés feios...tudo era motivo para partir para outra. Elas não entendiam nada. E ele não fazia nem questão em explicar ou dar um adeus.

E quem questionava, dizia:

- Para começar não precisa de porquês. Faço o mesmo no desfecho. Poupamos lágrimas, frases prontas e outras coisas que não precisamos e podemos evitar. Facilita a vida pois assim ela fará o mesmo com você. Vai por mim.

Um rude. Um ogro. Um monstro.

Tantas definições àquele homem. Pudera, ele não era tão comum assim.

Mas queria sempre um caso para viver em paz com o amor. Em pequenas doses. Assim como o velho whisky do boteco da esquina.

Lá se vai mais uma história com aquela mulher para ele perder a linha.

E ela vem chegando..."

Indico mesmo.

Cá estava eu fuçando no Orkut (layout velho por opção e conforto) e eis que encontro uma comunidade incrível:

Rita Apoena - até então com 3.747 membros.

Incríveis textos.

Link do blog: http://ritaapoena.blogspot.com/

Tão fofo.

Espero que goste, baby!

Vai um trecho da maravilha de escrita da Rita:


Sobre as despedidas

"Os cílios agarraram-se às pálpebras quando tentei fechar meus olhos. Mas você assoprou e todos voaram. De novo nasceram e de novo voaram. Não faça mais isso! Quem vai cortar a lágrima em fatias no dia em que você for embora?"

Repente!

"Todo mundo já teve dor de dente
Mas assim como uma febre, uma cólica, um desamor
Não passa tão rápido ou de repente.
Santa paciência, falta carência
Não tem plano de saúde que dê jeito.
E "numa" sorte de presente
O futuro sorri, o passado envelhece, e o agora cuida desse casulo que vive meu peito"


Um sambinha para mostrar ao Serginho Meriti e provar que não levo jeito pra compor (ao contrário do que ele pensa).

Cecília de Bolso.

Estou lendo um livro (melhor dizendo, o melhor achado de 13 pilas) chamado Cecília de Bolso. Sim, a Meireles. Em paralelo estou lendo a incrível entrevista do Mano Brown da Revista Rolling Stone. Destinos e histórias diferentes. A semelhança? A magia de encantar pessoas com versos simples.

Eu que até então desconhecia o trabalho de ambos (só de forma bem rasa) mergulhei e me entreguei as pesquisas. Recomendo a leitura da revista independente do estilo musical que vc curte e o livro? Poxa, estou ná página 131 e cada dia mais feliz.

Graças ao livro...descobri que o começo da música que mais gosto na voz de Bethânia (que até escrevi um post recentemente com a letra) tem um poema de Sophia de Mello Breyner Andresen:

"Quando eu morrer voltarei para buscar os instantes que não vivi junto ao mar"

Uma história puxa a outra, tem sido assim nas minhas últimas leituras. O acaso me faz comprar livros, revistas, DVD´s e descobrir semelhanças.

Assim foi com Clara Nunes, Candeia, Marcelo Rubens Paiva...

E Meireles e Brown agora.

bj pra quem fica!

10 de dez de 2009

Conto.

Da série "Minha vidinha démodé"

"Mulher é uma incógnita. Encana geral com coisas que homem nenhum no mundo talvez faça ideia de que bololô foi criar.
E ela ficou bem brava ao saber que ele chama a atual pelo mesmo apelido que a chamava. Pior foi para a Zefinha, que teve que engolir a seco o convite de casamento estampado com a frase que ela tatuou na pele em homenagem até então para o namorado. Lá estavam os dizeres: "Por um segundo mais feliz". Sim, ele sem dó e piedade usou a frase no seu grande dia.

Claudinha teve que ler o scrap "Saudades da sua mordida" e ver que ele mandava para todas as amigas. Clarice não sabia o que fazer para esquecer tal decepção: seu ex escolheu o nome da filha Paula, o mesmo que ambos decidiram quando começaram a namorar e planejar filhos. Sim, ele teve. Não com ela. Mas teve e seguiu a promessa do nome. Clarice deveria ter feito um contrato com requisitos mais específicos. Não o fez.

E Alice que precisou de muitos calmantes para aceitar o convite de madrinha do filho de ex marido. Seria de bom tom negar? Não daria sorte?

Pois é...só quem viver...verá que do outro lado dói a dor do amor, mesmo quando esse já não seja dividido em partes iguais."

Apaixonante.

Olha, tenho 27 anos...e não encontrei nenhum homem no mundo que seja mais bonito, inteligente, ácido, engraçado e que escreva tão bem como o Marcelo Rubens Paiva.

O destino fez bem em não nos unir.

Eu só ia querer ficar com ele e mais nada.

Recomendo para entender o motivo:

http://blog.estadao.com.br/blog/marcelorubenspaiva/

E os livros também, é claro!!!

Perfeições que a vida nos dá.

Lá estava eu semana passada na Livraria Nobel a procura do novo libro sobre Clarice.
Não o encontrei e o vendedor insistia em vender alguma obra dela. Não fui em busca disso e segui com a meta.

Eis que quis encontrar o livro Cartas a Caio F. e também não achei. Fui à Livraria Cultura e só me diziam: "Que tal fazer uma encomenda?"

Não suporto pedidos que demoram a chegar. Avon e Natura são minhas únicas exceções.

Decidi voltar pra casa e garimpar textos na internet para confortar a sede de ler.

E eu sou do tipo de pessoa que quando gosto, compro mesmo. Não suporto ler textos longos pela internet. Não sou da turma que ainda compra vinil e faz discursos moralistas sobre isso, mas sou daquelas que não assinam revistas pelo puro prazer de ir à banca de jornal comprá-las todo mês. Gosto dos livros que cabem no bolso, das biografias, de fotografias e de lápis de cor. E assim sou no amor também. Não gosto que ninguém me apresente ninguém com aquele discurso "Meu amigo quer te conhecer".

Gosto de observar, achar detalhes que ninguém percebe, como reparar na voz rouca de fumante, no perfume amadeirado, das unhas roídas, da camiseta com furo de cupim, do cabelo não arrumado...e Caio descrevia coisas assim. Não acho ruim publicações pela internet. Não acredito que isso prejudique a venda de livros.

Existem pessoas como eu, que atavés dessas pesquisas, correm atrás desses livros e recomendam que façam o mesmo. A publicidade "Boca a Boca" parece mais real que os boletos pagos para tal.

Adoro indicações.
Adoro biografias.
Adoro acidez.

Consegui PRECIOSIDADES de Caio Fernando Abreu:

"Tenho medo de, dia após dia, cada vez mais não estar no que você vê.E tanto tempo terá passado, depois, que tudo se tornará cotidiano e a minha ausência não terá nenhuma importância. Serei apenas memória, alívio..."

"É dificil aprisionar os que tem asas"

"Tenho tentado aprender a ser humilde. A engolir o nãos que a vida te enfia goela abaixo. A lamber o chão dos palácios. A me sentir desprezado-como-um-cão, e tudo bem, acordar, escovar os dentes, tomar café e continuar."

"Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar de remar também."

"Não se perca. Não se esqueça. Viver bem é a melhor vingança"



Essa frase tem "um quê" da personagem Sofia de Alan Pauls.

Talvez Caio me entenderia tão bem.







6 de dez de 2009

A Pérola.

Texto da série "Minha vidinha démodé":

Título: Seu Ismael e suas histórias.

"Todos os dias o pai antes de deitar, ia ao quarto da filha e lhe contava alguma história. E não era um ritual para fazê-la dormir e sim passar ensinamentos de forma lúdica e bonita. A menina ficava ansiosa para saber qual seria a mais nova que o pai lhe contaria. E ela aprendeu a origem da pérola.


- Quando eu te digo que não posso te dar tudo, é porque eu quero o teu melhor. É preciso entender que nem sempre as coisas são como a gente quer.
- Ok.
- Abra sua gaveta e pegue aquela caixinha.
A menina correu para buscar a tal caixa e antes mesmo que pai lhe pedisse para abrir, assim fez. Seus olhos brilharam ao ver o lindo par de brincos de pérolas que lá estavam.
- São lindos né? Essas bolinhas não nasceram assim sabia?
- Como não?
- Assim como você fica brava quando não te dou atenção, ou quando sua mãe te pede algo, a Dona Ostra também fica assim quando um grão de areia decide morar dentro dela. Mas ela, com aquela paciência que te peço, decide cuidar do grão e dele fazer algo tão bonito como esses brincos que te dei. A Dona Ostra protege o grão e o deixa cada vez mais bonito. E assim é como você. Cada cuidado nosso te faz cada vez melhor e mais bonita como pessoa. O que hoje parece chato e irritante como o grão de areia é dentro da Dona Ostra, mais pra frente será algo bonito e precioso.
- O senhor vai cuidar de mim assim como a Dona Ostra?
- Sim, pra sempre. Mesmo quando você não estiver tão pertinho assim junto de mim."

P.S.: Texto dedicado ao meu pai...assim como este acima...contava histórias fascinantes.

30 de nov de 2009

Twitter + Dona Zabé

A pedidos...

O meu é: @NinaMedina

Viciadíssima em DONA ZABÉ DA LOCA

Acessem os videos dela no Youtube e entenderão o que digo.

O mundo precisa de pessoas assim...

Meu link favorito:

http://www.youtube.com/watch?v=pL6YoVqGa9I


E depois disso...dormirei ao som de Zeca Pagodinho cantarolando "Dor de Amor" e "Minha Fé"

Amanhã promete...programa 31 no ar...

Até o 36 tem chão meu povooooo!!!

27 de nov de 2009

Maria Bethânia

Eu cresci ao som de tanta coisa que é difícil descrever. Lá em casa a MPB sempre foi muito forte. E com os primos ouvia muito Depeche Mode, Information Society, Smiths, Suede, New Order (sim, sou de 82, velhoca).

E Maria Bethânia sempre esteve presente. Confesso que não tinha reparado nas grandes interpretações dela (só "Brincar de Viver" e "Você não sabe") até este feriadão que passou.

Ao chegar em casa, corri para o acervo da minha mãe e grandes descobertas foram acontecendo. E hoje, nessa madrugada (são 4:15 da matina e cá estou no PC ouvindo só Bethânia) não consigo parar de escutá-la e prestar atenção nas canções.

Ficaria horas aqui indicando...coisa que até pode rolar mais pra frente. Mas encerro com trechos das principais canções.

Pra Eu Parar de Me Doer

"Mais que a dor do amor
Viver a dor, me doeu.
Eu quero mesmo é ser feliz!
Amar, amor!


Quem não semear,
Não vai colher
Ai, de quem é um!
E nunca será dois.
Por não saber...

Quem irá me valer?

São pessoas, é a caminhada
Quem irá me valer?
São meus sonhos no pó da estrada
Quem irá me valer?
É o sorriso que guardo comigo
Quem irá me valer?
É o segredo de fazer amigos..."

DAMA, VALETE E REI

"Quem nasceu valete
Não se mete a rei
O amor não vale trinca
Com a sorte não se brinca
E eu brinquei
O meu castelo

Eu fiz na lama
Era falsa a minha dama
Vou procurar esquecer
Ela foi o blefe
Que eu paguei pra ver"


RESTO DE MIM

"Quanta coisa ainda por dizer
Do meu amor imenso por você
Quantas palavras que ficaram no ar
Suspensas pra sempre
Perdidas no mundo sem encontrar você
O susto foi grandeO medo passou

Agora, o vazio me ocupou
Queima meu corpo, rompe meus sonhos
Mas sei que não quero me enganar de novo
Você arrancou os frutos sadios

Você entornou meu coração
O inverno foi longo
As noites sem fim
Meu bem, meu bem
O que fez com o resto de mim
Procuro razões em seus olhos escusos
Só vejo a mentira escondidade no fundo
Você fez sangrar meu coração
Feriu a si mesmo
Pensando que não."

Belezura...

"Quando as aves falam com as pedras e as rãs com as águas - é de poesia que estão falando"

Manoel de Barros

Genésio.

Viciadíssima no macarrão verde com camarão do Genésio.

E amei o texto da comunidade do local:

Por Cassiano José:

"Quem gosta de viver bem
Não entra em qualquer boteco,
Concentra-se em cada gole,
Que pra tudo ele é remédio,
Valoriza um bom cardápio,
Não aceita chope médio,
Sorri quando o garçom vem,
Quando ele vai, fica sério,
Puxa uma boa conversa,
Enquanto entorna o caneco,
Um dia no Filial,
Outro dia no Genésio."

Jabá para eles: Rua Fidalga 259A - Vila Madá

Agradeço Dri Muniz e Lorena por me levarem lá.

"Samba pros Poetas"

Breve intro aqui.

Claro que acho que alguns nomes deveriam estar na canção...mas fico feliz com alguns mencionados.

Bela composição do Diogo Nogueira (essa semana só tenho escutado canções dele).


Samba pros Poetas
Composição
: Diogo Nogueira / Inácio Rios


"O povo clamando pro samba não morrer
Sambista de fato não deixa esmorecer
Bate no peito com raça e dignidade
O samba vem de Angola
Mexe meu peito, a mais pura verdade

Dizem que o samba da gente já morreu
Isso é conversa fiada, o samba cresceu
E Donga dizia pelo telefone
Que o samba é a alma do povo,
Raiz verdadeira, Brasil é seu nome

Samba de Monarco, de Ratinho
De Noel, de Padeirinho e do Silas de Oliveira
Samba de Katimba e da Vila, Dona Ivone, Jovelina
E também João Nogueira

Samba pros poetas de verdade
Do Paulinho da Viola e pro Nelson Cavaquinho
Olha que o Candeia foi chegando
E o Sem Braço foi versando
Devagar, no miudinho"


Link do video para você: http://www.youtube.com/watch?v=ajNqhzjXYKw

Ao Cubo.

Lá estava eu no transporte público escutando um som...


Ouvindo as mesmas canções de sempre...e de repente...ouço uma linda canção na voz do Diogo Nogueira...sabe aquelas músicas que você tem a certeza já ter escutado na voz de outro alguém?

Foi assim.

E foi mágico. A versão na voz dele é bem suave...pé do ouvido total.

E reparei na canção e me identifiquei na hora.

Eu que tanto escrevo sobre amor...na mesmice das coisas...veio de encontro a meu favor.

Recomendo mesmo.

A música?

"Você abusou"

Eis a letra people.


"Você abusou, tirou partido de mim,
abusou
Você abusou
Tirou partido de mim, abusou
Tirou partido de mim,
abusou
Tirou partido de mim, abusou


Mas não faz mal,
é tão normal ter desamor
É tão cafona, sofredor
Que eu já nem sei se é meninice ou cafonice o meu amor
Se o quadradismo dos meus versos

Vai de encontro aos intelectos que não usam o coração como expressão


Você abusou, tirou partido de mim, abusou
Você abusou
Tirou partido de mim, abusou
Tirou partido de mim, abusou
Tirou partido de mim, abusou


Que me perdoem se eu insisto neste tema
Mas não sei fazer poema ou canção
Que fale de outra coisa que não seja o amor
Se o quadradismo dos meus versos
Vai de encontro aos intelectos que não usam o coração como expressão"

http://www.youtube.com/watch?v=q4UqCSsv4M8

26 de nov de 2009

Eita semaninha dificim.

A semana não começou redonda. Um diz que me disse causou o maior furor. Mas as coisas voltaram aos seus eixos (assim espero). Nada que um diálogo franco e direto.

E quando estou triste, zangada...ouço músicas novas (que estão foras do meu playlist natural e repetitivo).

E nessas navegações pela internet, eis que encontro a letra de um hino da Portela.

E me chamou a atenção do título:

"E por falar em amor, onde anda você"

Composição: Ciraninho, Wanderley Monteiro, Diogo Nogueira, L.C. Máximo e Júnior Escafura.



A letra é bem bonita. A melodia mais ainda.


E veio a calhar um trecho:

"O homem tem que usar a consciência,
As maravilhas da ciência
Para viver em harmonia"




Pois é...e encerro: "E por falar em amor, onde anda você?"

24 de nov de 2009

Revista

Recomendo uma revista que fala sobre a cultura nordestina. Ela náo é barata mas o valor vale pela qualidade do material. Fotos, entrevistas...há tempos náo vejo uma revista táo interessante como essa.

Comprei a segunda ediçào. Muito interessante. Fala sobre fé, Padre Cícero, amuletos, Dona ZABÉ, bordados...fiquei encantada com a revista.

Por isso recomendo. TANTO É QUE estou com dó em cortrá-la...pois dela farei quadros, caixinhas com recortes...pq realmente gostei.

O nome da revista: LICIA

Da Licia Fabio.

Uma senhora bem envolvida no mundo artístico e soube aproveitar bem...trouxe uma chefona Monica da revista Capricho...com escola da Abril no sangue.

Para quem gosta de revista assim como eu...entenderá minha fascinacáo pela revista.

E a redaçáo fica em um local ótimo. Na Galeria Ouro Fino.

Na Augusta...meu point.

E hoje irei pra lá. Tem Orquestra Saga no Studio SP.

V.I.P. - aniversário da vizinha que é um encanto de pessoa.

Tö só o caramelo...mas vou.

Beijo pra quem fica.

(P.S.: Maira, fiquei bem feliz que apareceu aqui, assim como Bruno e Saulinho...pessoas que náo fazia ideia que navegam nos meus post's)

18 de nov de 2009

Tear de ideias.

Hoje não teve samba.

Noite em casa, pintando as unhas com esmaltes coloridões, dos pés e das mãos,
cortar cabelo no banheiro e olhar no espelho "feliz da vida",
em arrumar o quarto,
organizar o guarda-roupa,
brincar com Amandí de corrida,
comer pizza de ontem,
começar o dia lendo bilhete checklist do Rogério,
gravar cd para Dri e Fezita,
falar com Cauto horas no Nextel,
dia de Programa 28 no ar, ao vivo,
dia de salvar o Jorginho logo cedo,
de bater papo com a Carolzinha,
de escrever no blog,
ler scraps,
Tricotar com a Fezita,
postar no Twitter,
falar com Saulinho,
rir do Rato e com ele,
ver o programa de ontem 6 vezes (cópias de dvd´s para a direção),
almoçar no Mc Donald´s às 16hs,
comer Spolate de chocolate,
em tomar Skol vendo novela com a mãe,
Descobrir que ele já não me quer mais,
Dormir no metrô e ainda sonhar,
ganhar blusa retrô da mãe,
Derrubar celular no chão do banheiro molhado,
Mandar sms´s para amigos que não vejo há tempos,
Ouvir na caixa postal um recado de alguém que não sei se conheço mas a voz não é estranha,
Descobrir que tenho 7 reais de crédito no celular...


é...acho que tive um dia grande. De gente grande.

Temos o que merecemos? Sim.

Adoro descobertas.
Elas enriquecem.
Claro que tem surpresa boa e surpresa ruim.
Mas não dá pra evitar né baby?

E das últimas...servem apenas como lição de vida.
Pelo menos para esta que vos escreve.

Poderia chorar mas não é preciso. Vamos pra frente Brasil! Salve a Seleção não é mesmo?

E se antes já gostava desse lema, ao ao ouvir esta canção do cd Tudo Azul da Velha Guarda da Portela, essa semana veio como luva.

Só eu sei bem o pq.


Minha Vontade

Composição: Chatim 1955


"Quero viver como passarinho
Cantar, voar sem direção
Quando eu quiser construir meu ninho
Hei de encontrar um coração
Por enquanto eu quero viver
Com toda a liberdade
Saltando aqui, pousando ali
Essa é minha vontade
Não, eu não quero prisão
Para o meu coração, eu não quero
Será bem triste o meu fim
Se eu não conseguir levar minha vida assim"

E complemento: (liberdade poética, rs)
"Descobrindo que você não soube me entender, da maneira fácil de compreender,
Não pedi para esperar, muito menos nada em troca.
Carinho é algo que se dá, não se pede e boa para guardar.
Deixa estar.
Será bom para nós.
Ao menos estou vivendo, da forma que pretendo, sem receio ou lamento"


Quarta-Feira feliz.

E que assim seja a semana toda.

Mereço.
Merecemos.

17 de nov de 2009

Arnaldo Antunes

Um dia canto essa música para alguém especial.

Enquanto isso, fica registrado aqui apenas como indicação:


Canção: O Seu Olhar


Composição: Paulo Tatit / Arnaldo Antunes


"O seu olhar lá fora
O seu olhar no céu
O seu olhar demora
O seu olhar no meu
O seu olhar seu olhar melhora
Melhora o meu
Onde a brasa mora
E devora o breu
Como a chuva molha
O que se escondeu
O seu olhar seu olhar melhora
Melhora o meu
O seu olhar agora
O seu olhar nasceu
O seu olhar me olha
O seu olhar é seu
O seu olhar seu olhar melhora
Melhora o meu"


Link do Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=RYwRK8E5Elw&feature=related

Lindissíma.

A música do dia no mp3?

na voz de Marisa Monte.

canção: DE MAIS NINGUÉhttp://www.youtube.com/watch?v=QmrSDpfdVMMM

Composição: Marisa Monte/ Arnaldo Antunes


"Se ela me deixou a dor,
É minha só, não é de mais ninguém
Aos outros eu devolvo a dó
Eu tenho a minha dor
Se ela preferiu ficar sozinha,
Ou já tem um outro bem
Se ela me deixou,
A dor é minha,
A dor é de quem tem...
É meu troféu, é o que restou
É o que me aquece sem me dar calor
Se eu não tenho o meu amor,
Eu tenho a minha dor


A sala, o quarto,
A casa está vazia,
A cozinha, o corredor.
Se nos meus braços,
Ela não se aninha,
A dor é minha, a dor.
Se ela me deixou a dor,
É minha só, não é de mais ninguém
Aos outros eu devolvo a dó
Eu tenho a minha dor
Se ela preferiu ficar sozinha,
Ou já tem um outro bem
Se ela me deixou,
A dor é minha,
A dor é de quem tem

É o meu lençol, é o cobertor
É o que me aquece sem me dar calor
Se eu não tenho o meu amor,
Eu tenho a minha dor
A sala, o quarto,
A casa está vazia,
A cozinha, o corredor.
Se nos meus braços,
Ela não se aninha,
A dor é minha, a dor."

15 de nov de 2009

Mais uma do Herbert.

Fico tão feliz quando escrevo aqui e alguém me diz que valeu a pena a indicação, por isso que continuo indicando. Para essas pessoas.

Mais Herbert:

"Pra se mandar, o pé na estrada
Tantas mentiras e no fim
Faltava só uma palavra
Faltava quase sempre um sim
Agora já não falta nada
Eu não quis
Te fazer infeliz
Não quis
Por tanto não querer
Talvez fiz."

Mais recomendações.

Apesar de um fim de semana "sambístico" (Sabadão mega calor, lá estava eu no Vila Duca assistindo o Grupo Façanha) e de lá fomos para Vila do Samba (meu lugar) ver Amigos do João (dá-lhe Serginho Madureira)...e no domingo lá no Projeto Cultural "Samba que a gente faz"...encerrei o domingo ouvindo uma linda canção do Herbet Vianna, o cara do pop rock nacional lindíssima...

Eu não sou fã dele como intérprete mas como compositor admiro mesmo.

E uma das frases dessa canção é digna em estar no meu convite de casamento:

"Não quero nada que não venha de nós dois"

E o povo ainda consegue escolher músicas pro repertório algo tão cafona, como se não houvessem grandes escolhas. Pieguice é um marasmo mesmo.


Só Pra te Mostrar
Composição: Herbert Vianna

"Não quero nada
Que não venha de nós dois
Não creio em nada
Do que eu conheci
Antes de conhecer
Queria tanto te trazer aqui
Pra te mostrar
Pra te mostrar por quê
Não há nada que
Ponha tudo em seu lugar
Eu sei
O meu lugar está aí
Não vejo nada,
Mesmo quando acendo a luz
Não creio em nada
Mesmo que me provem certo como dois e dois
As plantas crescem em nosso jardim
Pra te mostrar, pra te mostrar por que
Não há nada quer ponha tudo eu seu lugar
Eu sei
O meu lugar está aí"

Repertório é algo que engrandece. E como é bom ter escolhas e poder acertar.

12 de nov de 2009

terceiro post da noite

Aiai, são quase 4 am.

Acordo às 6.

Putz!

Viciada nessa canção na voz de Maria Bethania.

Ainda aprendo tocar violão e tirar essa.

Metrô lotado às 7 am ouvindo essa canção...fica tão agradável. Nem percebo mais quando chega no Brás.


Canto de Oxum

Composição: Toquinho e Vinicius de Moraes


"Quando eu morrer
voltarei para buscar os instantes que não vivi junto do mar
Nhem-nhem-nhem

Nhem-nhem ô xorodô
Nhem-nhem-nhem
Nhem-nhem ô xorodô

É o mar, é o mar
Fé-fé xorodô
Oxum era rainha,
Na mão direita tinha
O seu espelho onde vivia á se mirar
Quanto nome tem a Rainha do Mar?
Quanto nome tem a Rainha do Mar?
Dandalunda, Janaína,Marabô, Princesa de Aiocá,Inaê, Sereia, Mucunã,Maria, Dona Iemanjá.
Onde ela vive?
Onde ela mora?
Nas águas,
Na loca de pedra,
Num palácio encantado,
No fundo do mar.
O que ela gosta?
O que ela adora?
Perfume,
Flor, espelho e pente
Toda sorte de presente
Pra ela se enfeitar.
Como se saúda a Rainha do Mar?
Como se saúda a Rainha do Mar?
Alodê, Odofiaba,Minha-mãe, Mãe-d'água,Odoyá!
Qual é seu dia,Nossa Senhora?
É dia dois de fevereiro
Quando na beira da praia
Eu vou me abençoar.
O que ela canta?
Por que ela chora?
Só canta cantiga bonita
Chora quando fica aflita
Se você chorar.
Quem é que já viu a Rainha do Mar?
Quem é que já viu a Rainha do Mar?
Pescador e marinheiroque escuta a sereia cantar.
É com povo que é praieiro que Dona Iemanjá quer se casar."

Mistura.

Conto da série "Minha vidinha démodé" misturada com a minha.

Onde começa a ficção e a minha realidade. Nem eu sei.

"Eu que um dia acreditei na metade do que dizia,
entendi só hoje em dia que a outra metade de nada adiantaria se fosse verdade.

Nada quis pedir em troca.
E ainda assim ganhei presentes, embrulhados em nosso dia a dia tão feliz.
Já gostei, deixei de gostar e hoje já nem sei.

Não gostava de futebol, truco, dançar, beber, forró, funk, axé e acordar cedo.

:)


O que mudou de lá pra cá?

Tanta coisa baby, tanta coisa.

Do futebol escolhi um time pra torcer.
Lusa.
Das jogatinas a internet incubiu minha diversão.
Da dança veio a paixão pelo samba rock, samba do partido alto.
Do forró só com Clara Nunes. E só mesmo.
Do funk e axé nada mudou. Continuo a não gostar.
Da bebida peguei respeito. Tudo com moderação. Nem sempre, mas tento. Ela não vem pra afogar nada e nem esquecer. Serve apenas para alegrar, sim...
Em acordar cedo também nada mudou, mas agora criei estratégias para ficar menos ranzinza pela manhã.
E de você?
O que não gostava?

Deixou de ser importante, em ser prioridade, em ser minha preocupação, em anotações dos post-its perdidos...

Mas jamais conseguiu sair definitivamente do meu coração.

Mas há lacunas sendo preenchidas depois que você partiu.

E continuam vazias..."

Aiaiai...madrugada longa na internet dá nisso...não tente fazer sozinho em casa...

Feito pro mundo.

Mudar.
que seja para melhor.
Rever.
que seja somente o interessante.
Pensar.
sobre ontem e o amanhã
Chorar.
por animais de estimação, por um texto bom, por cinema, por música, por alguém.
Encantar.
somente aos andarilhos.
Flertar.
com quem tem charme, nem precisa de beleza.
Escrever.
pelo simples fato de compartilhar.


Eu sigo minhas missões. De forma certa ou errada a vida mostra todos os dias.

E eu agradeço que seja assim.

Que assim seja!

30 de out de 2009

Post às pressas...

São 5 da manhã. ás 6 preciso estar na casa da Lili.

Mas decidi passar aqui pos lembrei q tinha abandonado.

Semana mega feliz por ter visto tanta gente querida e talentosa (Monarco, Leci Brandão, Almir Guineto, Samba da Laje, Serginho Meriti, Simoninha)

Tanto q nem tô tão puta em ir para uma reunião em plena sexta...

as coisas mudam minha gente...às vezes de forma bem estranha mas mudam.

Que seja para melhor essa mudança.

Beijô.

21 de out de 2009

Indicação.

Vai aqui uma dica para quem curte um som brazuca, de bom gosto e de qualidade.

Grupo Sambagroove
(para quem curte Lenine, Jorge Ben Jor, Chico Buarque, Seu Jorge...vai gostar).

Eles tocam às sextas no Bar Brahma.

Jabá?

Pode ser.

Indico que ouça a música "Disco Velho". Estou firme e forte para decorar.

Myspace dos caras:
http://www.myspace.com/bandasambagroove


Site dos caras:
http://www.bandasambagroove.com.br/


Espero que goste tão quanto eu!

Em doses.

Ainda estou na metade do livro (biografia da Clara Nunes).

Muita coisa mudou com essa leitura.

E não será diferente aqui no blog.

Tanto é que uma das grandes músicas interpretadas para ela tem a letra bem interessante:

"LAMA"


"Pelo curto tempo que você sumiu
Nota-se aparentemente que você subiu
Mas o que eu soube a seu respeito
Me entristeceu, ouvi dizer
Que pra subir você desceu
Você desceu

Todo mundo quer subir
A concepção da vida admite
Ainda mais quando a subida
Tem o céu como limite
Por isso não adianta estar
No mais alto degrau da fama
Com a moral toda enterrada na lama"

De Mauro Duarte.


"Última morada"
Composição: Natal / Noca da Portela

"Quando eu morrer
Eu quero uma batucada
Pra me levar à minha última morada
Quero ouvir acordes
De um violão
E o povo pelas ruas
Cantando as estrofes
Da minha canção
Assim no céu
Terei felicidade
E das belas coisas da vida
Eu não sentirei saudade"

Eu sou assim: quando gosto, divulgo mesmo. Seja o que for.

15 de out de 2009

Mais a frente do olhar.

Lá no interior de São Paulo,
lá no Norte do país,
lá na vila mais pacata,
lá na zona norte,
lá no meio de uma rua movimentada,
lá no meio dos gibis,
lá entre esmaltes e revistas,
lá cantarolando canções antigas,
lá acendendo um incenso,
lá perto do lápis de cor e canetinhas coloridas,
lá adiante das pastas e caixas,
lá estou eu...fragmentada...

Em pequenos espaços,
fazendo o que gosto,
rodeada de quem admiro.

Um passo de cada vez.

10 de out de 2009

Paulo Cesar Pinheiro.

Eis um homem que recolhe palavras bonitas.
Mais um na minha lista (Marcelo Rubens Paiva, Caio Fernando Abreu, Chico Buarque, Lenine, Caetano Veloso, Ricardo Chromal "Rico", Bruno Medina, Marcelo Camelo, Rodrigo Amarante, Candeia, Monarco, Arlindo Cruz, Edu Krieger, Seu Jorge...)

UM TRECHO DA CANÇÃO:

"Mordaça"


"Tudo o que mais nos uniu separou
Tudo que tudo exigiu renegou
Da mesma forma que quis recusou
O que torna essa luta impossível e passiva
O mesmo alento que nos conduziu debandou
Tudo que tudo assumiu desandou
Tudo que se construiu desabou
O que faz invencível a ação negativa

É provável que o tempo faça a ilusão recuar
Pois tudo é instável e irregular
E de repente o furor volta
O interior todo se revolta
E faz nossa força se agigantar

Mas só se a vida fluir sem se opor
Mas só se o tempo seguir sem se impor
Mas só se for seja lá como for
O importante é que a nossa emoção sobreviva
E a felicidade amordace essa dor secular
Pois tudo no fundo é tão singular
É resistir ao inexorável
O coração fica insuperável
E pode em vida imortalizar"

SALVE!

Preciso me encontrar.

O título do post é o nome da música que mais ouço essa semana:

"Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar

Se alguém por mim perguntar
Diga que eu só vou voltar
Depois que me encontrar...

Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver..."

Salve Candeia na voz do amado Cartola.

8 de out de 2009

Florescer.

Essa semana fiz uma bela aquisição...um livro sobre Clara Nunes. Já era apaixonada pelo seu trabalho e a cada página lida, fico mais encantada por ela.

Quisera eu ter um pouquinho de luz que essa mulher teve.

Mas o post de hoje não é sobre ela (preciso terminar o livro para isso acontecer).

É sobre vida.
Daí nasceu mais um conto da série "Minha vidinha demodé".

O título: Das coisas que mais gosto.

Ele é assim: charmoso e bem humorado.
Dentes alinhados, sede do saber, artesão, músico e filho zeloso.
Neto mimado e irmão carinhoso.
O mais atencioso com a mãe e com poucos amigos. 3 mais precisamente.
Gosta de futebol, cartas, videogame, revistas, internet, dirigir, pescar e tocar violão.
Compor ainda não faz parte dessa belezura.
Gosta de MPB e Jazz.
Não suporta funk e axé. Nem pense em chamá-lo para dançar algo do tipo. O tempo fecha e o sol não aparece.
Não sabe dançar mas tem malemolência.
Tem unhas curtas, panturrilhas grossas e barba por fazer. Cabelo desgrenhado, camiseta furada e moletom surrado.
Não sabe cozinhar, não gosta de fumar e adora beber. Prefere cerveja e vodka. Vinho nem pensar.
Não é do fast food mas não é vegetariano ou com hábito de comida saudável.
Malhou só nos tempos do colégio, por conta das aulas de educação física. Depois disso, só corre para pegar o fretado.
Mas Deus é generoso com aquele corpo magro com cor indefinida e uma barriguinha visível.
Adora assistir tv mas não curte cinema. Arrastá-lo para um só se for para ver algum filme do Didi.

Adora gibis da Turma da Mônica e comprar revistinha Coquetel nível fácil.
Tem manias engraçadas como estourar plástico bolha e ficar horas brisando nisso.
Até comprou recentemente pela internet um chaveiro que proporciona a sensação desse plástico (na bagatela de 30 pilas).

Há pouco tempo cantou canções do Chico Buarque enquanto lavava seu carro.
Dono de uma sensibilidade grande e simples como comprar coisas em brechó e dar como belo presente.

Não telefona, não procura...simplesmente aparece. E isso torna seu caráter menos duvidoso e mais sincero. Não exige, não questiona e não perturba. Apenas conversa, explica e sorri.

Acredita que a felicidade precisa estar a qualquer custo acima das outras coisas.

Sua religião é acreditar que em qualquer lugar que você esteja, fazendo o bem, já está sendo abençoado. Não precisa gritar para ser escutado, não pede em nada e nem faz promessas. Apenas agradece diariamente em um Pai Nosso antes de dormir e após acordar.

Procura levar uma vida mais rotineira mas a noite misturada com insônia não permite tais ambições. Vive melhor assim, criando algo sempre depois da meia noite.

Tem plano de saúde mas prefere tomar chá de limão feito pela sua vó. Remédios nem pensar. Além dos famosos chás, em hematomas passa andiroba e para rouquidão vai no mel.

Sabe desenhar e fazer esculturas. Não vive disso. Uma pena.

A última vez que leu um livro foi sobre Chico Buarque. Oh coisa boa...ficou mais sedutor após essa leitura. Pq será?


Caso você o encontre por aí, por favor diga que estou com minha caneca esperando por ele.

5 de out de 2009

Outubro

Feliz por tanta coisa...até daquelas que ainda não estão definidas...

Sinto que falta muito mas nem por isso o sorriso desmonta.

Um tear de ideias surgem e fazem do dia a dia algo mais prazeroso.

Uma sensação boa de passarinho fora da gaiola procurando novos horizontes.

Mas sempre é bom voltar ao ninho, seja ele aqui ou acolá.

Ontem comprei uma garrafa de Smirnoff Triple Distilled e 3 Red Bull. A solteirona no supermercado do Anália...com um carrinho sem critérios (vodka, energéticos, reparador de pontas, chocolate, moletom, esmalte, Yoda, revista...). acho um porre ir ao supermercado...(até recomendo que vá ao Youtube e veja o PGM Cilada sobre isso)...mas ontem foi bem divertido. Sabia o que queria, o quanto podia gastar e largar mercadorias ao longo da caminhada e trocando por outros.

OH que maravilha...beber em casa para comemorar um novo ciclo.

Pena que minha mãe não bebe...nem meu pai ... o jeito é bebemorar só vendo Amaury Jr.

Chato não?

26 de set de 2009

Salve Salve!

Salve São Cosme e Damião.

Proteção, sempre.

Um pouco de Caio ao mundo....

Gosto das escritas dele. Ácido, inteligente e dono das palavras fáceis e agradáveis.

Ainda terei ao menos um livro dele para dizer que sou fã de verdade. Enquanto isso, sigo garimpando coisas boas na internet e recomendo aqui neste breve post:

Eis Caio Fernando Abreu.

Não o conhece? Ainda tem tempo para descobrir uma escrita tão boa quanto de Isabel Allende.

"Quem procura não acha. É preciso estar distraído e não esperando absolutamente nada. Não há nada a ser esperado. Nem desesperado. Tudo é maya / ilusão. Ou samsara / círculo vicioso"

...

Escrevendo, eu falo pra caralho, não é?

...

Não leve a mal alguma dureza dita. É porque te quero claro. Citando Arantes, pra terminar: "Eu quero te ver com saúde, sempre de bom humor e de boa vontade".

adoro!

22 de set de 2009

Nada pessoal.

Apenas gosto da letra e da melodia. Gosto ainda mais do Paulinho Moska.

"O amor que eu te tenho é um afeto tão novo
Que não deveria se chamar amor
De tão irreconhecível, tão desconhecido
Que não deveria se chamar amor
Poderia se chamar nuvem
Pois muda de formato a cada instante
Poderia se chamar tempo
Porque parece um filme que nunca assisti antes
Poderia se chamar labirinto
Pois sinto que não conseguirei escapulir
Poderia se chamar aurora
Pois vejo um novo dia que está por vir
Poderia se chamar abismo
Pois é certo que ele não tem fim
Poderia se chamar horizonte
Que parece linha reta, mas sei que não é assim
Poderia se chamar primeiro beijo
Porque não lembro mais do meu passado
Poderia se chamar último adeus
Que meu antigo futuro foi abandonado
Poderia se chamar universo
Porque nunca o entenderei por inteiro
Poderia se chamar palavra louca
Que na verdade quer dizer aventureiro
Poderia se chamar silêncio
Porque minha dor é calada e meu desejo é mudo
E poderia simplesmente não se chamar
Para não significar nada e dar sentido a tudo"

Fase 2

Programa 11 já foi ao ar hoje.
Amanhã...segue o 12.
Daí fechamos a Fase 2 do Ídolos 2009.

Fase do Workshop começa semana que vem. Só os "cremes de la cremes".

Um tempinho de respiro, uma folguinha no meio da semana para repor as energias.

Feliz pq logo mais é dia de São Cosme e Damião e terei pique total para dedicar com isso. Um momento especial que vários lugares reunem doces e acima de tudo: carinho - pra crianças e jovens.

A tarefa tem que ser diária, mas e preciso um dia específico para comemorar e dividir bondades (como diria o Gugu da técnica).


A fé cada um tem a sua. A minha é bem ampla. Já houve um tempo em desacreditar. Mas tive a oportunidade de resgatá-la e não largar mais.

Resumo do post: com um dia de folga, dá pra botar as ideias pra trabalharem em prol de outras coisas boas.

Feliz por isso.

P.S.: Um beijo especial para Marizinha (desde sexta não tivemos tempo em botar o papo em dia) e para Bruna - prima amada.

UM CADIM DE FELICIDADE.

A pergunta foi:
- O que você quer fazer da vida?
A resposta foi:
- Direção de arte direcionada para revistas.
- Você escreve tão bem, pq não investir nisso?
- A gramática cansa um pouco. Talvez seja preguiça misturada com amnésia.
- Eu tenho uma galeria, você está convidada para trabalhar lá, tipo segundo job. O que acha?
...
- Mas eu não entendo de literatura e arte moderna. Não é arriscado?
- Não. Eu confio em você.


A vida é como cartas de baralho. Uma hora você tem a certeza que vai tirar a carta certa. Ainda não tirei a minha. Mas já estou feliz muito antes de saber o que tem quando eu virar.

galeria de arte...quem diria...a resposta foi não...mas algo coçou no coração.

E o diálogo só começou quando comentei que era fã de Adriana Falcão, amiga dele.

Mundo ovo.

20 de set de 2009

Coisinha bonitinha da mãe.

Sábado ganhei uma linda rosa da Carla.
Passamos alguns minutos conversando sobre mim. Estranho isso. Quando falo disso, sempre o assunto é o mesmo. Por mais que tenha vivido tantas coisas, as velhas sempre me aborrecem.
Ela fez um pacto. E acho que não ganhará.

Cheguei em casa e coloquei a rosa em um copo com água em cima da mesa.

Laptop ligado, cinco páginas do Youtube na tela, fone de ouvido e beliscando azeitonas.

Não ouvi meu filho (meu gato Amandí) bebendo a água da rosa.

Quando olhei para trás, eis que o vejo com aquela carinha do gato do Shrek.

A vontade foi em dar bronca. Mas acho que a inocência dele o protegeu.

Achei lindo demais. Aquela rosa é especial assim como a água. Logo, tá tudo certo.

Como disse para Marizinha: "Tudo depende da forma que você encara as coisas"

Novos tempos, velhas recordações.

Apesar do título, não quero falar sobre isso.

Mas não tive ideia melhor para renomear.

Já falei delas para pessoas próximas...Aline Calixto no post anterior e agora falo de Maria Gadú.

Recomendo assim que der, vá ao Youtube e veja o quão encantadora é a voz dessa menina (sim, 22 anos).

Paulistana que já foi tentar a sorte na Europa e voltou ao Brasil parando no Rio. Toca violão de forma sutil e cria canções belíssimas como:

"Bela flor" e "Laranja"

Na altura da competência de Luiza Possi que regravou "Tango de Nanci" eis que ela fez uma visita especial também no acervo de Chico e deixou maravilhosa a canção "A História de Lily Braun" (salve Edu Lobo).

e nessa leva...ouça também Diogo Poças (irmão da maravilhosa Céu).

recomendações feitas...blog encerrado!

7 de set de 2009

UP

Hoje fiuquei feliz. Marcelinho recomendou o filme UP dizendo que é minha cara. Será por causa do velhinho rabugento e balões?

E ouvi pelo Youtube depois do trb a encantadora cantora Aline Calixto.

Não curti a entrevista no Jô Soares (achei vazia e metida demais). Mas não posso falar algo parecido sobre suas canções e interpretações.

Recomendo.

Comparações à Clara Nunes estão por todo lado. Clara é Claridade e insubstituível. Mas deixou Aline com a missão de encarar a música como algo sério e visceral.

Recomendo.

UM dia de cada vez.

Limpeza geral no quarto.
2 sacos cheios de lixo saíram e tomaram outro rumo.
Isso é resultado de uma parte só do guarda-roupa, ainda faltam mais 6 partes.

O quarto é todo meu. Quer dizer...Amandí também habita por lá, mas ele não opina sobre as coisas.

Tempo novo, primavera nova, coisas velhas dão espaço as coisas novas e a necessidade de resgatar princípios estão ali, estampados nos bilhetinhos de 1999 que a Mari um dia escreveu, no cartão minúsculo de Natal que minha avó Cida fez com carinho, das cartinhas trocadas com a Tania quando essa fugiu de casa e foi morar com os tios, com um chaveiro do Garfield que o Erick deu antes de partir para BH, com a embalagem de presente que um dia alguém me deu com algo dentro, com a carteirinha de vacinação da Petunia, com as matérias escritas nas manhãs do Camargo Aranha, com as revistas favoritas, com fotos 3x4 de amigos e pseudo-conhecidos dos tempos de Poli, fitinhas de cetim...

Uma mistura maluca de sentimentos acontecem quando toco o passado. Queria muitas vezes estar lá novamente, desfrutando cada risada, cada recado, cada foto...quanta gente sumiu (e nem o Orkut acho), quanta gente casou, quanta gente mudou...e eu também faço parte disso.

É perigoso fazer esse tipo de limpeza. Estar preparado é o ideial mas não o modo seguro e fácil.

Quantas palavras descritas perderam sentido com o avançar do tempo?
Quantas pessoas dividiram seus momentos e hoje dividem com outros?
Quantos momentos que poderiam ser vividos e hoje são mas sem você?

Aprender é lento e cansativo às vezes.

Rever isso tudo e aceitar é uma tarefa estranha (única palavra que consigo definir).

Em dias tempestuosos não é bom fazer limpeza.

Ainda mais em dias de T.P.M., estresse e sensação de hipocrisia.

Junte tudo isso com uma dose de incertezas deixadas no caminho e entenderás o que tenho a dizer e sentir.

Sei que faz parte...mas se possível Doutor, faça curar logo.

Uma hora cansa.

21 de ago de 2009

Muito bom.

Como diria o gringo Felipe da Avid: "Beleza pura né Carola?"

Pois é.

Graças ao Pablo e Lorena...decidi ouvir com calma essa antiga, interessante e bonita canção.

Tem um significado.

Viva Arnaldo Antunes.

"Socorro!
Não estou sentindo nada
Nem medo, nem calor, nem fogo
Não vai dar mais pra chorar
Nem pra rir...

Socorro!
Alguma alma mesmo que penada
Me empreste suas penas
Já não sinto amor, nem dor
Já não sinto nada...
Socorro!Alguém me dê um coração

Que esse já não bate nem apanha
Por favor!Uma emoção pequena, qualquer coisa!
Qualquer coisa que se sinta...

Tem tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva (em algum post anterior que mencionei o bonito Bruno Mazzeo escrevi essa frase lembra?)

Socorro!Alguma rua que me dê sentido
Em qualquer cruzamento
Acostamento, encruzilhada
Socorro! Eu já não sinto nada...
Socorro!Não estou sentindo nada

Nem medo, nem calor, nem fogo
Nem vontade de chorar
Nem de rir...

Socorro!Alguém me dê um coração
Que esse já não bate
Nem apanha

Por favor!Uma emoção pequena qualquer coisa!
Qualquer coisa que se sinta...
Tem tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva
Qualquer coisa que se sinta
Tem tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva..."

Aniversário chegando.




Domingão tá logo aí. Nunca fiz alarde por aniversário meu. Mas esse...sei lá pq deu a louca de anunciar (talvez pq eu queira a Melissa Bubbles (azul Iemanjá), a Melissa do Pequeno Príncipe (amarela) e a Melissa Vivienne Westwood Anglomania + Melissa Ultragirl IV (vermelha).

ahauahuahauhuahauhauahuaha - só um ricão generoso me daria isso.

Mas eu aceito com o mesmo sorriso e alegria um abraço ou sms seu.

Caso insista em comprar algo:

Balas de Maçã verde (desses que ganhamos de troco)
Halls de morango ou cereja
Uma latinha de Skol
Um jogo de lápis de cor (pode ser aqueles baratinhos das Lojas Americanas)
Uma lata de Sprite
Esmalte vermelho de qualquer marca.
Acetona
Chocolate batom


Bem...não estarei comemorando em lugar algum (apenas pretendo dormir).

Mas...terça (dia 25 de agosto) tem um eventão no Studio SP.

Estarei por lá. Gostaria ver gente querida. Mas entendo que grana, frio, preguiça...desmotivam as pessoas. Mas quem sabe vc lembre de mim e bate uma euforia louca né?

Então...estarei na terça no Studio SP e na quarta no Vila do Samba. Bem....se tudo der certo com as Betas Digitais e o Centro Exibidor Master. Caso contrário...sambarei sozinha em alguma ilha no puxadinho do Estúdio M.


Viva Portela. Salve Portela na avenida. Tia Surica.


BEIJINHOS.

17 de ago de 2009

Ciranda da Vida

Em casa tudo foi sempre assim.
Sempre muita gente.
Hoje os tempos são outros.
As crianças que lotavam o quintal...cresceram.
Os adultos fizeram novos amigos e prioridades mudaram.
Alguns permaneceram. Nisso nada mudou.

Lembro dos meus 9 anos e festas nos finais de semana (amigos dos meus pais).
Lembro do som (Chico Buarque, Paul Simon, Dire Straits, Beth Carvalho...),
Lembro do cheiro (pão caseiro que meu pai fazia, cheiro de café, cerveja, churrasco...)
Lembro quando precisei ficar fora de SP por 2 anos.
Tinha 7 anos.
Não fazia idéia pq ter q ficar longe dos meus irmãos, dos meus bichos e dos meus brinquedos.
Lembro dela falando:
- Lá as crianças não têm tantos brinquedos. Leve apenas alguns. Um dia você vai entender.

Cheguei lá e realmente um mundo novo surgiu.
Sotaque, comida, música, pessoas e comportamento.
Foi lá que aprendi a andar descalça (e ter trauma com isso).
Aprendi a respeitar outra religião que até então tinha medo.
Brincava de boneca com uma menina chamada Carina.
Ela era loira, magra, com muitas Barbies. Os pais dela não a deixavam sair. Então, eu brincava do lado de fora do portão. Eu tinha uma imitação falsa da Barbie e dizia que tinha muitas (originais) na minha verdadeira casa, mas ela não acreditava.
Lembro que as tardes eram longas com ela. Eu falava dos meus brinquedos, do meu quarto, dos meus bichos...mas creio que ela não acreditasse em mim. Afinal, eu tinha uma única boneca e ainda por cima: falsa.

Lembro que tomava refrigerante no saquinho plástico e canudo.


Senti pela primeira vez a dor da perda de pessoas importantes e como o amor é algo admirável.
Minha vó faleceu quando eu tinha 7 anos. Foi por isso que saí de SP. Para minha mãe ajudá-la nos últimos momentos. Alguns meses depois, meu avô não agüentou a solidão e partiu. Foi aí que descobri o amor a dois.

Como alguém pode deixar de viver dessa forma?

Demorei muitos e muitos anos para entender essa escolha do meu avô.

Apesar dos 2 anos, os conheci muito pouco. Mas lembro das manias dele. Quando começava o Jornal Nacional não podia fazer barulho. Lembro do seu chinelo. Lembro da sua cadeira. Dela lembro mais. Minha avó era doce e quieta. Uma voz quase inaudível. Quando vejo a atriz Laura Cardoso não consigo evitar as comparações.

Só lembrei-me disso hoje quando abri um pacote de bolacha. Antes de viajar, tudo em casa era dividido. Se eu fosse abrir uma caixa de bombom, dividia por 3 (eu, Gui e Li). Tudo era assim. Ninguém saia perdendo. Quando um não queria, dividia sua parte com os outros.

Quando me afastei deles, aprendi a comer um pacote sozinha. Mas o paradigma jamais deixou de existir. Lembrava de acordar mais cedo para tomar banho, para dar tempo de todo mundo tomar e não se atrasar.

Isso é resultado da educação que tivemos. Não pensar como único ser.
E ao abrir o pacote de bolacha (saindo do trabalho), não tinha ninguém na rua para dividir.

Bateu a lembrança de como é ruim não ter ninguém para dividir a vida, mesmo que seja um pacote de bolacha.

Daí lembrei do meu avô que abriu mão de viver pois não tinha sua amada ao lado.

Dividir a vida é algo muito precioso. É preciso doar um pouco de si, pegar um pouco do outro, pensar antes de agir, reinventar o amor quando o conflito bobo acontece, respirar quando bate a euforia, cuidar das coisas mais simples e construir um amor que preenche, para que um dia que ele seja falta, vire saudades e se transforme em uma recordação boa.


Levo um pouco desse amor comigo. Carrego a lembrança de um amor duradouro.

As coisas boas nem sempre voltam como antes, mas se renovam a todo instante.

Monarco disse: “O dia se renova todo dia
Eu envelheço cada dia e cada mês
O mundo passa por mim todos os dias
Enquanto eu passo pelo mundo uma vez”

Mistureba boa.

Tudo que tenho escutado essa semana (músicas encantadoras):

Um pouco de Paulinho Moska:

"Meu amor
Vamos falar sobre o passado depois
Porque o futuro está esperando
Por nós dois.
Por favor
Deixe meu último pedido pra trás
E não volte pra ele nunca
Nunca mais.
Porque ao longo desses meses
Que eu estive sem você
Eu fiz de tudo pra tentar te esquecer"

...

"Porque visto as frases que você me deu
Mas elas não me servem mais
O que aconteceu com seu futuro que era o meu?
Agora não adianta mais me responder(nem venha me dizer)
Quem passou do ponto onde era longe
E de que jeito era o certo
Porque minha dor sempre se esconde
Mas nunca sai de perto
O que aconteceu com meu futuro que era o seu?"

...

"Não preciso de você pra descobrir
Que a estrada infinita que tenho que seguir
Não leva a nada"

...

"O amor que eu te tenho é um afeto tão novo
Que não deveria se chamar amor
De tão irreconhecível, tão desconhecido
Que não deveria se chamar amor
Poderia se chamar nuvem
Pois muda de formato a cada instante
Poderia se chamar tempo
Porque parece um filme que nunca assisti antes"



Herbert estava certo:

"Aonde está o que você quer
Pra me transformar no que te agrada
No que me faça ver
Quais são as cores e as coisas pra te prender"

"Será que você ainda pensa em mim?
Será que você ainda pensa?"

Não é de sua autoria, mas Caetano salva:

"Tudo de bom que você me fizer
Faz minha rima ficar mais rara
O que você faz me ajuda a cantar
Põe um sorriso na minha cara...
Meu amor, você me dá sorte
Meu amor!Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte na vida!..."

Lenine sabe das coisas (eu que fujo de qualquer gaiola):

"Se você quer me seguir
Não é seguro
Você não quer me trancar
Num quarto escuro
Às vezes parece até
Que a gente deu um nó
Hoje eu quero sair só...
Você não vai me acertar
À queima-roupa
Vem cá, me deixa fugir
Me beija a boca
Às vezes parece até
Que a gente deu um nó
Hoje eu quero sair só..."

Indicações

Não estou saindo de casa a não ser que seja para trabalhar:

Mas recomendo.

Dona Ivone Lara no Boteco do Seu Zé (RUA MOURATO COELHO 1144 - VILA MADALENA ) dia 19/08

Luiza Possi no dia 29/08 Hsbc Brasil


Beirut no Via Funchal em setembro (já está no site) - em homenagem = Camila Marques, Cauto e Mariana Correia.


Quem souber de algum show em Sampa do Paulinho Moska...please, comunicar.

15 de ago de 2009

Desculpas.

Deveria ter escrito isso no post anterior mas esqueci. Mais relapsa do que nunca.

Por uns dias ficarei sem celular. Ele quebrou e assim permanecerá até que eu mande arrumar ou compre outro.

Quem tiver um velhinho que aceite chip da Claro (sim, eu tenho um desses, caí na cilada) aceito ofertas abaixo de 30 reais. Sim, celular agora para mim será assim.

hauhauaua

27 anos logo mais...é preciso guardar dinheiro para mais Renew.

Vc entende né?

Um passo de cada vez.

Semana mega ultra intensa.

Cheguei a perder o ar em certo momento. Mas ri bastante. Pessoas novas na estrada surgiram. Gente interessante, bem humorada, colorida e principalmente divertida. Adoro trabalhar com o departamento técnico, as coisas facilitam muito.

Treinando muito meu portunhol e assim descobri que talvez não aguentaria ficar mais que uma semana em terra de língua estrangeira. Minha paciência some e dá espaço ao stress.

Amanhã, domingão, trabalho também.


A semana que não tem fim e muito menos começo. Tinha que ser em agosto. Mês do cachorro louco.

10 de ago de 2009

COISAS INCRÍVEIS.

Confesso que tenho assistido pouco tv, tenho dedicado meu tempo ainda mais para as revistas, Youtube e Last.

Sábado foi um dia cansativo na labuta, no transporte coletivo, no shopping lotado por filhos relapsos, fila para carregar bilhete único, fila para comprar bilhete no metrô, fila no carrinho de dog, fila para entrar na loja, fila no caixa eletrônico, fila para pagar o presente, fila na lanchonete, disputa acirrada por uma mesa livre e limpa na praça de alimentação, fila para passar na catraca do metrô, fila para entrar no vagão, fila para entrar na lotação, fila para descer também...e o porteiro ainda quis puxar papo sobre o Timão (desde quando gosto de futebol?).

Não via a hora de chegar em casa, tirar o tênis e abrir os dedinhos dos pés. Encostar o corpo no sofá velho e esquecer por um momento do dia longo.

Eis que cochilei e acordei com uma morena exquisita na tela da televisão dançando e cantando. Era sobre a venda de um ringtone que "canta" seu nome quando toca. Aquela musiquinha entrou na mente por longos minutos. Decidi dormir mais um pouco. Acordei com minha mãe assistindo Zorra Total. Era um capítulo sobre máfia italiana. As piadas não faziam sentido algum e não sei se posso colocar essa responsabilidade em minha preguiça de rir ou se era ruim mesmo.

Passou sábado e chegou o domingo.

Ele encerrou com o quadro Cilada no Fantástico que gosto muito. Era sobre Barzinhos. Adorei. Me vi em cada situação. Desde a comanda em conjunto, amigos dos amigos, música ao vivo irritante, os pagamentos extras, o garçom que nunca te vê e ainda erra o pedido, músicas em releitura, desenhos abstratos que diferenciam banheiros...eu acrescentaria acompanhar alguém no banheiro. Ah, isso para mim sempre foi um tédio desde os tempos de recreio lá na infância. Andar de mãos dadas e acompanhar amiguinhas no banheiro sempre foi broxante. Dividir espelho acho uó.

Sou chata mesmo.

Assumidamente chata e rococó.

2 de ago de 2009

Recomeços.

Meus lemas:

Liberdade requer paciência. Do outro.


Ceder não é contrato. É dividir vontades mesmo que a sua seja a menor que a do outro.


Problema é problema. Minimizar não é justo. Cada um sabe a dor que se tem (já dizia Caetano). Mas não faça da frescura um problema.


Rever conceitos. Dê preferências aos seus. Dos outros, fica pra outro dia.


Esquecer aniversários. Não vejo problema nisso. Contanto que lembre depois, tá tudo certo. Adoraria que todos entendessem mas tá longe dessa sensatez.


É...preciso dormir (são 23:26)...bobagens surgem e eu acredito nelas.

15 de jul de 2009

Temos o que merecemos.

Amizade é dividir sorrisos, angústias, conhecimento, ombro, bronca, fone de ouvido, chiclete, escova de cabelo, guarda-chuva, chinelo (sim, apesar de odiar pés e chinelos), dinheiro, arroto, pum, roupa, família, sorvete, cadeira, amigos do amigo, batata frita, cerveja, cd, dvd, livro, isqueiro, cigarro, esmalte, filho (viva o batizado), sapato, fofoca, piada, scrap, e-mail, choro, carro, bicicleta, bebedeiras, confusões, remédio, band-aid, Atroveram, Listerine, pasta de dente...

Só não vale dividir marido, pq até vaso sanitário dá para dividir na correria.

E de amigos tô feita na vida.

Um recado em especial para alguns que nesses últimos dias me deram o carinho em superdoses: Fezinha (pq ela me dá felicidade), Mari (lá da Irlanda manda e-mails mega ultra especiais), Carolzinha (por me aturar e salvar dos apuros e fazer com que as lamparinas do meu juízo não se apaguem), Marizinha (por me alimentar com comidas naturais e café-da-manhã decente), pro Roger (ácido e recheado de Ana Maria Bolinho de Baunilha), Rogerim (por seu carinho expresso em palavras fofas nos bilhetinhos), pra Carina (que mostra o lado doce que devemos ter), Cautóviski (que me faz rir e dividir as notícias recentes), pro Saulinho (o menino mais encantador que conheci nesses 26 anos, com mania de organização, ouvir música...) e para Henrique, que tem mostrado uma paciência necessária para acompanhar minhas teimosias, manias e melancolias.

Eu sou um porre. Mas ainda há quem goste um pouco. Fica aqui meu obrigada.

Dose em doses.

Seguindo a mesma linhas dos recentes posts, recomendações continuam:

Já ouvia todo dia e agora, após um dos compositores explicar a música frase a frase (o que fez amar ainda mais a letra) recomendo ouvir.

Canção: "Trajetória"

Eu prefiro a versão com a maravilhosa Fabiana Cozza (Youtube) mas a gravada por Maria Rita também é bem bonita.

Fica aqui:

"Porque é que tem que ser assim
Ninguém jamais pôde mudar
Recebe menos quem mais tem pra dar"

29 de jun de 2009

Fase de recomendações.


Recomendo pq a voz dela é incrível (o baixo é bem valorizado na banda):


The Gossip da mega-ultra-hype Beth Ditto.


The best songs: "Heavy Cross" (indico ver clipe no Youtube)

"Listen Up"

"Standing in the way of control"


Faz tempo que não ouço algo que me faça colocar no Repeat e ouvir mais de 33 vezes no mesmo dia (exceto Los Hermanos, Smiths, Roberta Sá, Fabiana Cozza, Lenine e Maria Rita - clássicos do meu dia a dia)

28 de jun de 2009

Twitter.

Agora tenho um. Se é pra ser hype, que assim seja.

Gosto e ponto.


Hoje, aniversário da minha mãe, uma nativa bem específica do signo de Câncer. Escutamos bastante as músicas do Projeto Pequeno Cidadão. Procurei a participação deles no pgm Altas Horas e eis que ouço:



Bruno Mazzeo no programa Altas Horas disse (momento fã para Arnaldo Antunes)

“Tem tanto sentimento deve ter algum que sirva”

Bonito isso.

Se a coragem em tatuar fosse forte, essa frase com certeza faria parte da

“Apronta pra fé e rema”

do Marcelo Camelo in my body.


Indico também (viciada) a série da TV Cultura (tinha que ser):

"Tudo que é sólido pode derreter"


Idéia incrível, elenco perfeito e trilha sonora foda.

Toda sexta Às 19:00.


Tem o site também onde é possível assistir os episódios. Já que vai assistir, aproveita e veja o pgm Pé na Rua (um dia eu chego lá!!!)