Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

17 de fev de 2009

Speed

Desculpe o sumiço.
Consegui a proeza em "me" perder dentro de mim.

Foi possível.

Mas deve ter cura.

Quando?

O tempo dirá.

3 de fev de 2009

Sem rascunhos.

Talvez a medicina não seja tão romântica afim de explicar o que sinto.
Um gripe passageira...uma bronquite chata...uma rinite irritante.

Acho que não. É a falta que ela já faz aqui no Brasil.

Não deu tempo em dar aquele abraço gostoso e receber aquela piscadinha de criança.

Nem em entregar o livrinho.

Mas o mundo moderno une o amor de um jeito estranho. Preciso acreditar na tecnologia.

Nunca tinha me preocupado com as notícias do "exterior". Agora, até o clima me faz ter interesse.

Coisas de irmã...só quem tem para saber...

Amo.

Pausa...

Pois é...a intenção era escrever 2 vezes por semana aqui...mas as coisas estão tomando outro rumo.

Estou sem laptop e internet em casa e sem tempo para Gui trazer again.

Logo, lanhouse é um lugar tão hostil quanto a famosa lanchonete com o M amarelo. Você pode até gostar, mas sempre tem a sensação de pressa, que precisa ir embora (eu sinto assim).

Logo, voltei a escrever em minha caderneta. Em breve, novos textos.

Fica registrado o obrigada pelos comentários.

Indicação da semana? Milan Kundera.

Chá verde em caixinha e pão de forma com requeijão.


Texto seguinte doeu para escrever.