Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

30 de out de 2009

Post às pressas...

São 5 da manhã. ás 6 preciso estar na casa da Lili.

Mas decidi passar aqui pos lembrei q tinha abandonado.

Semana mega feliz por ter visto tanta gente querida e talentosa (Monarco, Leci Brandão, Almir Guineto, Samba da Laje, Serginho Meriti, Simoninha)

Tanto q nem tô tão puta em ir para uma reunião em plena sexta...

as coisas mudam minha gente...às vezes de forma bem estranha mas mudam.

Que seja para melhor essa mudança.

Beijô.

21 de out de 2009

Indicação.

Vai aqui uma dica para quem curte um som brazuca, de bom gosto e de qualidade.

Grupo Sambagroove
(para quem curte Lenine, Jorge Ben Jor, Chico Buarque, Seu Jorge...vai gostar).

Eles tocam às sextas no Bar Brahma.

Jabá?

Pode ser.

Indico que ouça a música "Disco Velho". Estou firme e forte para decorar.

Myspace dos caras:
http://www.myspace.com/bandasambagroove


Site dos caras:
http://www.bandasambagroove.com.br/


Espero que goste tão quanto eu!

Em doses.

Ainda estou na metade do livro (biografia da Clara Nunes).

Muita coisa mudou com essa leitura.

E não será diferente aqui no blog.

Tanto é que uma das grandes músicas interpretadas para ela tem a letra bem interessante:

"LAMA"


"Pelo curto tempo que você sumiu
Nota-se aparentemente que você subiu
Mas o que eu soube a seu respeito
Me entristeceu, ouvi dizer
Que pra subir você desceu
Você desceu

Todo mundo quer subir
A concepção da vida admite
Ainda mais quando a subida
Tem o céu como limite
Por isso não adianta estar
No mais alto degrau da fama
Com a moral toda enterrada na lama"

De Mauro Duarte.


"Última morada"
Composição: Natal / Noca da Portela

"Quando eu morrer
Eu quero uma batucada
Pra me levar à minha última morada
Quero ouvir acordes
De um violão
E o povo pelas ruas
Cantando as estrofes
Da minha canção
Assim no céu
Terei felicidade
E das belas coisas da vida
Eu não sentirei saudade"

Eu sou assim: quando gosto, divulgo mesmo. Seja o que for.

15 de out de 2009

Mais a frente do olhar.

Lá no interior de São Paulo,
lá no Norte do país,
lá na vila mais pacata,
lá na zona norte,
lá no meio de uma rua movimentada,
lá no meio dos gibis,
lá entre esmaltes e revistas,
lá cantarolando canções antigas,
lá acendendo um incenso,
lá perto do lápis de cor e canetinhas coloridas,
lá adiante das pastas e caixas,
lá estou eu...fragmentada...

Em pequenos espaços,
fazendo o que gosto,
rodeada de quem admiro.

Um passo de cada vez.

10 de out de 2009

Paulo Cesar Pinheiro.

Eis um homem que recolhe palavras bonitas.
Mais um na minha lista (Marcelo Rubens Paiva, Caio Fernando Abreu, Chico Buarque, Lenine, Caetano Veloso, Ricardo Chromal "Rico", Bruno Medina, Marcelo Camelo, Rodrigo Amarante, Candeia, Monarco, Arlindo Cruz, Edu Krieger, Seu Jorge...)

UM TRECHO DA CANÇÃO:

"Mordaça"


"Tudo o que mais nos uniu separou
Tudo que tudo exigiu renegou
Da mesma forma que quis recusou
O que torna essa luta impossível e passiva
O mesmo alento que nos conduziu debandou
Tudo que tudo assumiu desandou
Tudo que se construiu desabou
O que faz invencível a ação negativa

É provável que o tempo faça a ilusão recuar
Pois tudo é instável e irregular
E de repente o furor volta
O interior todo se revolta
E faz nossa força se agigantar

Mas só se a vida fluir sem se opor
Mas só se o tempo seguir sem se impor
Mas só se for seja lá como for
O importante é que a nossa emoção sobreviva
E a felicidade amordace essa dor secular
Pois tudo no fundo é tão singular
É resistir ao inexorável
O coração fica insuperável
E pode em vida imortalizar"

SALVE!

Preciso me encontrar.

O título do post é o nome da música que mais ouço essa semana:

"Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar

Se alguém por mim perguntar
Diga que eu só vou voltar
Depois que me encontrar...

Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver..."

Salve Candeia na voz do amado Cartola.

8 de out de 2009

Florescer.

Essa semana fiz uma bela aquisição...um livro sobre Clara Nunes. Já era apaixonada pelo seu trabalho e a cada página lida, fico mais encantada por ela.

Quisera eu ter um pouquinho de luz que essa mulher teve.

Mas o post de hoje não é sobre ela (preciso terminar o livro para isso acontecer).

É sobre vida.
Daí nasceu mais um conto da série "Minha vidinha demodé".

O título: Das coisas que mais gosto.

Ele é assim: charmoso e bem humorado.
Dentes alinhados, sede do saber, artesão, músico e filho zeloso.
Neto mimado e irmão carinhoso.
O mais atencioso com a mãe e com poucos amigos. 3 mais precisamente.
Gosta de futebol, cartas, videogame, revistas, internet, dirigir, pescar e tocar violão.
Compor ainda não faz parte dessa belezura.
Gosta de MPB e Jazz.
Não suporta funk e axé. Nem pense em chamá-lo para dançar algo do tipo. O tempo fecha e o sol não aparece.
Não sabe dançar mas tem malemolência.
Tem unhas curtas, panturrilhas grossas e barba por fazer. Cabelo desgrenhado, camiseta furada e moletom surrado.
Não sabe cozinhar, não gosta de fumar e adora beber. Prefere cerveja e vodka. Vinho nem pensar.
Não é do fast food mas não é vegetariano ou com hábito de comida saudável.
Malhou só nos tempos do colégio, por conta das aulas de educação física. Depois disso, só corre para pegar o fretado.
Mas Deus é generoso com aquele corpo magro com cor indefinida e uma barriguinha visível.
Adora assistir tv mas não curte cinema. Arrastá-lo para um só se for para ver algum filme do Didi.

Adora gibis da Turma da Mônica e comprar revistinha Coquetel nível fácil.
Tem manias engraçadas como estourar plástico bolha e ficar horas brisando nisso.
Até comprou recentemente pela internet um chaveiro que proporciona a sensação desse plástico (na bagatela de 30 pilas).

Há pouco tempo cantou canções do Chico Buarque enquanto lavava seu carro.
Dono de uma sensibilidade grande e simples como comprar coisas em brechó e dar como belo presente.

Não telefona, não procura...simplesmente aparece. E isso torna seu caráter menos duvidoso e mais sincero. Não exige, não questiona e não perturba. Apenas conversa, explica e sorri.

Acredita que a felicidade precisa estar a qualquer custo acima das outras coisas.

Sua religião é acreditar que em qualquer lugar que você esteja, fazendo o bem, já está sendo abençoado. Não precisa gritar para ser escutado, não pede em nada e nem faz promessas. Apenas agradece diariamente em um Pai Nosso antes de dormir e após acordar.

Procura levar uma vida mais rotineira mas a noite misturada com insônia não permite tais ambições. Vive melhor assim, criando algo sempre depois da meia noite.

Tem plano de saúde mas prefere tomar chá de limão feito pela sua vó. Remédios nem pensar. Além dos famosos chás, em hematomas passa andiroba e para rouquidão vai no mel.

Sabe desenhar e fazer esculturas. Não vive disso. Uma pena.

A última vez que leu um livro foi sobre Chico Buarque. Oh coisa boa...ficou mais sedutor após essa leitura. Pq será?


Caso você o encontre por aí, por favor diga que estou com minha caneca esperando por ele.

5 de out de 2009

Outubro

Feliz por tanta coisa...até daquelas que ainda não estão definidas...

Sinto que falta muito mas nem por isso o sorriso desmonta.

Um tear de ideias surgem e fazem do dia a dia algo mais prazeroso.

Uma sensação boa de passarinho fora da gaiola procurando novos horizontes.

Mas sempre é bom voltar ao ninho, seja ele aqui ou acolá.

Ontem comprei uma garrafa de Smirnoff Triple Distilled e 3 Red Bull. A solteirona no supermercado do Anália...com um carrinho sem critérios (vodka, energéticos, reparador de pontas, chocolate, moletom, esmalte, Yoda, revista...). acho um porre ir ao supermercado...(até recomendo que vá ao Youtube e veja o PGM Cilada sobre isso)...mas ontem foi bem divertido. Sabia o que queria, o quanto podia gastar e largar mercadorias ao longo da caminhada e trocando por outros.

OH que maravilha...beber em casa para comemorar um novo ciclo.

Pena que minha mãe não bebe...nem meu pai ... o jeito é bebemorar só vendo Amaury Jr.

Chato não?