Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

14 de dez de 2009

Repente!

"Todo mundo já teve dor de dente
Mas assim como uma febre, uma cólica, um desamor
Não passa tão rápido ou de repente.
Santa paciência, falta carência
Não tem plano de saúde que dê jeito.
E "numa" sorte de presente
O futuro sorri, o passado envelhece, e o agora cuida desse casulo que vive meu peito"


Um sambinha para mostrar ao Serginho Meriti e provar que não levo jeito pra compor (ao contrário do que ele pensa).

Nenhum comentário:

Postar um comentário