Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

2 de jan de 2009

Na mão do tempo.

Lembro-me do dia em que achei que 2000 seria o fim dos tempos.
Desconfiava, queria ser cética mas as profecias eram mais fortes.
Cá estamos em 2009.
Quanta coisa passou, superamos, esquecemos, relembramos e conquistamos não¿

Dediquei-me: prioridades estúpidas que me levaram alguns momentos e pessoas boas da minha vidinha ordinária.
Dediquei-me: decorar frases e textos que nada trouxeram importâncias a mim.
Dediquei-me: comprar futilidades e abrir mão das coisas que recentemente aprendi a gostar.
Dediquei-me: reclamar das coisas tolas, falar “pelos cotovelos” e infelizmente não ouvir quando ali estavam os códigos de uma missão interrompida ou cumprida.
Dediquei-me: cursos inúteis e leituras banais.
Dediquei-me: fofocar sobre artistas e não falar sobre nós.
Dediquei-me: sufocar nosso precioso tempo e não dar ar ao nosso momento.
Dediquei-me: comer demais e ficar sossegada por isso.
Dediquei-me: não praticar esportes ou caminhadas pelo bairro.
Dediquei-me: roer as unhas e a cortar meu próprio cabelo.
Dediquei-me: não contar segredos para minha mãe e achar (de forma errônea) que isso era bom.
Dediquei-me: dormir mais e passear menos.
Dediquei-me aos que vieram ao meu encontro e não fiz esforços para os que fizeram outros caminhos.
Dediquei-me: ficar só quando o momento era propício para ficar junto.
Dediquei-me: criticar mais e observar menos.


De 2000 pra cá isso tudo e muito mais fizeram de mim o que sou agora, neste exato frame.

Se o saldo foi bom...ainda não tenho coragem em avaliar.

Sei que os erros gramaticais, ortográficos e a auto-crítica são meus alvos para 2009.

O resto deixo na “mão do tempo”, que cuidou ao seu modo - antes, durante e depois de 2000 das minhas tolices e acertos.

Espero que as dedicações avancem para um lugar melhor. A intenção existe. Só falta colocar em prática.