Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

24 de jun de 2009

Recomendações médicas.

Não é gripe e muito menos pneumonia. Apenas a rinite aparecendo na semana pra dizer oi.
Muitos espirros que me deixam cansada. A voz continua intacta (ainda bem, meu único luxo na vida).


Dias propícios para ficar encolhidinha no sofá na volta do trabalho e assistir tv com o felino-filho ao lado. Daí a mente aflora conforme o vai e vem dos canais. Não consigo ver nada na íntegra (salve a exceção do meu digníssimo Amauri Jr.). O problema não é a tv, é o velho de hoje e sempre: eu.

Acho tudo muito lento esses dias. A escada rolante do metrô e shopping poderiam ser mais ligeiras assim como o elevador do apê que insiste em ficar parado no oitavo andar. O bolo que não fica fofo antes dos 15 minutos, a espuma do refrigerante que demora sumir para encher o copo mais rápido, a pasta do creme dental que insiste em endurecer assim como a manteiga que chega a quebrar o pão de tão dura que fica.

Mas o frio permite meu Hall´s de morango não ficar nojento (papel grudado na bala), usar e abusar da coleção de cachecol feita por mamãe, em tomar banho quentinho e não querer sair mais, cabelo fica menos espigado, a cama parece mais gostosa, não fazer bolinhas nas unhas após pintá-las...

Eu gosto do frio assim como gosto de comprar revistas. Gosto do frio porque mesmo com preguiça consigo ser melhor do que no calor. Gosto do frio pois ele aproxima as pessoas. Gosto do frio por mais motivos que consigo pensar agora.