Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

30 de ago de 2010

Tem dias que reclamar é inevitável.
Tem dias que o sol insiste em ficar mais tempo.
Tem dias que a solidão rodeia mesmo aqueles que não estão sós.
Tem dias que nem sequer lembro o que fiz ontem.
Tem dias que a música mais brega parece cair como uma luva no seu drama.
Tem dias que dá vontade de não levantar da cama.
Tem dias que dá vontade em abraçar qualquer um na rua.
Tem dias que dá vontade de socar o primeiro sem noção que aparece.
Tem dias que a unha fica cheia de bolinhas após um esmalte bacana.
Tem dias que a bateria do celular decide acabar bem na hora que tu mais precisa.
Tem dias que os ponteiros do relógio insistem em ficar mais lentos.
Tem dias que correm demais.
Tem dias que sou corajosa ao atravessar a rua.
Tem dias que perco minutos tentando ser corajosa o suficiente para isso.
Tem dias que acordo guerreira.
Tem dias que acordo medrosa.
Tem dias que eu só quero um Dorflex, água e travesseiro.
Tem dias que quero uma Brahma gelada + cubinhos de Gorgonzola + azeitonas.
Tem dias que demoram para acabar e outros mais ainda para começar.
Tem dias que olho um antigo amigo e me dá vontade de ligar.
Tem dias que penso em ligar mas deixo para outro dia.
Tem dias que nada dá certo. Tipo "dormiu com a mão na bunda" mesmo...derruba tudo, quebra, rasga...
Tem dias que o cartão de débito insiste em dar susto e não efetuar a compra.
Tem dias que a moeda de 1 real parece pouco.
Tem dias que ela salva uma vida.
Tem dias que a bolacha velha parece ruim.
Tem dias em que não dá tempo para almoçar e essa bolacha parece ótima.
Tem dias que não quero fazer novos amigos e muito menos o about me de um colega novo do trabalho.
Tem dias que aparecem pessoas legais e que acrescentam cultura em nossa vida.
Tem dias que a vizinha grita menos.
Tem dias que dá vontade em pegar a peça de boliche e dar na cara dela.
Tem dias que sou mais doce e os demais sou ácida até a afta arder.
Tem dias que aquele velho amigo tem tanta história boa para contar e me dou conta o pq não perguntei antes.
Tem dias que o gato come menos e bebe mais água.
Tem dias que nem eu me entendo ou tento ao menos fazer algo para ajudar.
Tem dias que me questiono tanto.
Tem dias como o de hoje: um sol gostoso, uma manhã perfeita para trabalhar, colegas de trabalho que falam sobre qualquer coisa (menos trb), a comida do Grand Chef realmente cai bem, a Coca-Cola bem geladinha no lugar da Brahma, a vizinha perdeu a hora e não gritou com a filha, o ônibus passou vazio, não choveu enquanto eu estava na rua sem guarda-chuva, a internet está rápida, o gato comeu, o marido acordou no horário.

E eu acordei 1 hora atrasada e mesmo assim cheguei no horário certo no trabalho. Descobri que corro demais, vivo menos as minhas alegrias.

Mas hoje o dia está bonito. E espero que o seu também esteja.

Pula Baú

Mais Jorge na alcunha de Los Sebosos Postizos.

PULA BAÚ

"Pula baú quem quer eu não
Pula baú quem quer irmão

Se tem homem não tem mulher
Se tem mulher homem tem montão
É por isso que eu não vou lá
Porque

Pula baú quem quer eu não
Pula baú quem quer irmão

Pois é só você chegar
E perguntar como é que é
Toda gente lhe responde
Muito homem e pouca mulher
É por isso que eu não vou lá
Porque

Pula baú quem quer eu não
Pula baú quem quer irmão"

Zumbi

A música Zumbi com Los Sebosos Postizos faz o meu despertador ser mais agradável.


"Angola Congo Benguela
Monjolo Cabinda Mina
Quiloa Rebolo
Aqui onde estão os homens
Há um grande leilão
Dizem que nele há
Um princesa à venda
Que veio junto com seus súditos
Acorrentados num carro de boi
Eu quero ver
Eu quero ver
Eu quero ver
Angola Congo Benguela
Monjolo Cabinda Mina
Quiloa Rebolo
Aqui onde estão os homens
Dum lado cana de açúcar
Do outro lado o cafezal
Ao centro senhores sentados
Vendo a colheita do algodão tão branco
Sendo colhidos por mãos negras
Eu quero ver
Eu quero ver
Eu quero ver
Quando Zumbi chegar
O que vai acontecer
Zumbi é senhor das guerras
È senhor das demandas
Quando Zumbi chega e Zumbi
É quem manda
Eu quero ver
Eu quero ver
Eu quero ver
Zumbi
Zumbi..."

24 de ago de 2010

Toda loucura para curar seja lá o que for.

A mistura que dá liga ao amor é aquela que nem a Palmirinha saberia ensinar. Só vivendo para saber onde estão as doses exageradas de sal, o acúmulo do óleo, o açúcar que faltou, o fermento que não fez crescer ou cresceu demais. Pitadas de loucura sempre caem muito bem na minha comida favorita. Um limãozinho então...hum...

E para brindar os 28 anos nada melhor que entender que o tempo dá espaço para a alegria, a satisfação, as boas recordações e principalmente: a proteção do marido, pais, mães, irmãos, tios, tias, primos, primas e os amigos mais chegados. Desses que Jovelina cantava com gosto.

E com a proteção dos nossos senhores.

10 de ago de 2010

O caos.

Por um momento achei que ia desmaiar. A pressão subiu, desceu e permaneceu de um jeito maluco.
Cara pálida. Mão "formigando".
Pés doloridos. Coluna torta.
O frio do lado de fora nem sequer apareceu lá dentro. Ali estava um calor danado.
Gente reclamando a cada segundo. Mulheres grávidas disputando o banco. Idosa querendo sentar. Um lugar ao meu lado só caberia meu gato mas estava enganada. Cabia sim mais 3 pessoas. A pasta que o sujeito carregava nas mãos cutucava minha pobre bacia. E o odor de perfume, dente sem escovar, cabelo com creme para pentear escostando no braço alheio, o salto da bota da moda da cretina ameaçando meu dedão...

E o pior estava por vir. Chegar na estação Brás do metrô.

Quem pega a linha vermelha no metrô durante a semana sabe do meu medo. Sabe desse drama com outros detalhes.

É difícil chegar no trabalho sorrindo, abraçando os colegas e fingindo que está tudo bem.

Só se eu comprar o meu sorriso-máscara lá na lojinha de festa a fantasia da Ladeira Porto Geral. Só se for assim.