Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

14 de fev de 2010

POST DE CARNAVAL

Pois é...em pleno Carnaval eis que trabalho. Mas não fico triste pq o samba acontece o ano todo e não só nessa data. Sexta foi um dia bonito. Bar Brahma cheio de gente elegante e feliz, disposta para ver o Samba da Laje a primeira vez no palco principal. Os meninos começaram de forma tímida que logo foi ganhando o público sedento de ziriguidum. O repertório estava lindo. E ouvir qualquer canção da Portela com eles me dá um gostinho de quero mais.

Dia 28 de fevereiro, um domingão, tem o famoso Samba da Laje lá na Vila Santa Catarina. Realmente a festa na rua é bem mais bacana. E ainda tem a feijoada da Dona "Nerosa" pra animar a festa.

E no meio de tanto calor, samba, cerveja, trabalho...decidi fazer um post para alguém muito especial.

Título: Não tenha medo de mim

"O que pode ser melhor que voar?
Respostas longas escreveria.

Mudanças acontecem o tempo todo, independente de eu estar ao seu lado ou não. A diferença é o que outros pensam e o que te faz pensar. Mas não te cobro nada assim como não te peço tempo.
Devagarzinho foi tomando conta do meu espaço.
Eu já sei como você é, parte do que faz, a origem do seu crescer e a maneira de gostar.
Sou do tipo que te assusta. E não deve pensar assim.
A minha mistura de raças, de religiões, de gosto musical, da maneira de pensar talvez façam de mim alguém que te dá medo.
Mas não sou um bicho papão.
Só não sou a Mulher Média, parafraseando nosso Advogado Renan.
Talvez seja uma peça do seu Tetris que tu não esperava aparecer.
Irei com a calma que o destino mandou."

Um pouco de Adriana...

Qualquer canção na voz de Adriana Calcanhoto fica bonita. E fiz questão de separar as melhores.

"Aconteceu quando a gente não esperava
Aconteceu sem um sino pra tocar
Aconteceu diferente das histórias
Que os romances e a memória
Têm costume de contar
Aconteceu sem que o chão tivesse estrelas
Aconteceu sem um raio de luar
O nosso amor foi chegando de mansinho
Se espalhou devagarinho
Foi ficando até ficar
Aconteceu sem que o mundo agradecesse
Sem que rosas florescessem
Sem um canto de louvor
Aconteceu sem que houvesse nenhum drama
Só o tempo fez a cama
Como em todo grande amor"

"Não quero mudar você,
Nem mostrar
Novos mundos
Porque eu, meu amor, acho graça até mesmo em clichês.
Adoro esse olhar blasé
Que não só
Já viu quase tudo
Mas acha tudo tão déjà vu mesmo antes de ver.

Só proponho
Alimentar seu tédio.
Para tanto, exponho
A minha admiração.
Você em troca cede o
Seu olhar sem sonhos
À minha contemplação:
Aí eu componho uma nova canção.

Adoro, sei lá por que,
Esse olhar
Meio escudo
Que em vez de qualquer álcool forte pede água perrier"

"Toda sexta-feira toda roupa é branca
Toda pele é preta
Todo mundo canta
Todo céu magenta
Toda sexta-feira todo canto é santo
E toda conta
Toda gota
Toda onda
Toda moça
Toda renda
Toda sexta-feira
Todo o mundo é baiano junto"


Meus motivos estão ficando cada vez maiores por gostar dessas e de outras canções.