Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

7 de fev de 2011

Coisa boa.

O ano de 2011 está só no comecim. E não paramos de pensar no dimdim, fazer timtim com o copo americano...

Eu decidi dar um freio em tanta coisa que vinha com uma pressa danada de acontecer. As pessoas mais próximas ficaram chocadas com a minha mudança. Outras nem tanto. Eu não.

Já estava na hora de aprender dizer não, parar com excesso de gentileza (frase da Mel e Mari), de fingir felicidade onde não tinha, de achar que meu trabalho era tudo e essa coisa meio chinfrim chamada idade.

Teve pessoas que decidiram tentam entender, outros a criticar e os outros na casa do tanto faz. Eu? Tô na casa do sossego.

Não adianta bater o pé, me forçar a fazer o que não quero. Tô rebelde mesmo. E com ambições de vida cada vez mais distantes do que antes era planejado.

Se para isso eu tenha que perder algo, que não seja os fiéis amigos, o respeito da família e a sanidade.

E nesse clima de mudança algumas coisas ainda batucam aqui: o samba de raiz, a procura por sons novos (Tulipa Ruiz e Bárbara Eugênia só no repeat), o aquecimento pré carnaval(dá-lhe Portela e Mocidade Alegre).

Simbora companheiros de leitura. O blog continua. E ritmo de Carnaval, partido alto e cerveja gelada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário