Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

12 de set de 2011

Necessário!

Eu que um dia lá no passado achava que nunca mais amaria tanto alguém.
Injustamente com meu coração, disse que a minha chance de encontrar alguém legal ficaria só na expectativa.

Mas eu precisei de tempo, de encontrar outras pessoas, descobrir que o desejável era alguém capaz de arrancar sorrisos e admirações diárias.
De fazer o peito estufar tipo pomba!

Me encher de orgulho.

Tudo que estava nesse meio eu agradeço. Sempre ficam heranças e relíquias como gosto de dizer.

Mas acho que foi preciso de um bom tempo para definir meus desejos e minhas necessidades.

E dentre todas elas encontrei um rapaz careca, tatuado, sorriso contido e com o dom da arte de cozinhar, decorar e ser tão encantador.

Ou apaixonante como um dia minha querida Maira Terê havia dito sobre algumas pessoas.

As apaixonantes simplesmente precisam estar perto de nós!

Era um amigo, que virou melhor amigo. Dessa amizade trouxe muita calmaria, muitos trovões, uma brisa, uma leveza, furacões, tempestades, dias frios e dias de verão.

Tiveram dias que o guarda-chuva virou do avesso. Tiveram dias que ele segurou cada gotinha que caía do céu. Tiveram dias que a porta não abriu e Tiveram dias que o jeito foi pular da janela.

Tiveram dias que um prato serviu duas bocas e Tiveram dias que a fartura apareceu.

Tiveram dias que tinha troco para pizza. Tiveram dias que os trocos de outrora pagaram a pizza seguinte.

Tiveram dia que o cofrinho ganhou várias moedas. Tiveram dias que essas mesmas moedas serviram para algo importante.

Teve momentos que o despertador falhou e teve dias que estava adiantado.
Tiveram noites com a inimiga insônia. Tiveram dias que a noite não precisava chegar.

E nesses momentos, sejam eles cinzas ou coloridos, eu estive ao seu lado. E você soube compreender que nem todo mundo acorda bem todo santo dia.

Mas é preciso tolerância e muito humor para tirar de letra as coisas que só um casamento tem.

Pois viver sob o mesmo teto, é aceitar, dar e receber condições. E acima de tudo isso, é depois de uma briga, encarar os erros, pedir ou aceitar desculpas....ou simplesmente, fazer o melhor no dia seguinte.

Pq o post sobre casamentos?

Pq esse ano ficará na minha história como o ano dos casórios.
Começou com o meu, aí o amor pousou sobre Alexandre e Jú, Cauto e Fernanda, Manga e Juliana. E passará sobre Karina e Tigré, Ariana e Renato, Ná e Simone e quem sabe mais algum....

Que o significado da aliança perdure...