Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

2 de nov de 2012

Pega a bexiga e ...

Escrevo hoje depois de um longo período de férias.
Escrevo rápido.
Em ritmo de São Paulo.

Hoje em ritmo de comemorar 2 anos e 9 meses de uma história que começou antes disso e faz a conta não bater.

Ele está com o termômetro na axila, 2 cobertores, deitadinho no sofá.
Negou a cerveja, o controle remoto e o computador. Deu um pito e apagou após Coristina agir.
Do ângulo que o vejo, percebo que a careca aumenta e o corpo mais franzino. Mas continuo achando gato. Pois o conjunto da obra só favorece, mesmo em dias que estamos só o pó da rabiola.

Bigó, quando a febre passar, podemos novamente mostrar ao mundo nosso muito obrigada.
 

6 de jun de 2012

Tempo!

Quando o mundo insiste em mudar a seta da bússola, eu vou lá e jogo tudo para o alto.
Não tenho medo de arriscar, de tentar, de desistir. Meu medo é só fracassar.
A gente pensa que sabe das coisas. Só achamos. O tempo nos mostrará se estávamos errados ou não.


Pego um punhado de dor misturado com acidez e saudade. Jogo um pouquim de tristeza e polvilho alegria.


E enfeito lindamente o cupcake com pétalas de amor.


Eu não me entendo e nem tento. Doce ilusão achar que chegar a uma conclusão será a salvação. Então meu caro amigo, nem tente também. Confie em mim.


A única coisa que sei sobre mim é que não aceito mais ou menos. Se é pra ser menos, me diga logo. Se é para ser mais, tamujunto na pegada.


Uma virginiana do primeiro decanato, do primeiro dia. Por questões de horas não sou de Leão.


Então não me venha com firulas baby! 
Meu esquema, sistema, problema SÃO sinistros. Deles tento escapar do metódico, do alinhado. Um pouco de caos me faz bem. E como faz. Mas nem tanto. Não sei lidar com isso.


E nesses dias em que tudo parece chuvoso demais, é tão bom contar com gente pura, colorida e ácida.


Tenho poucos amigos assim. Mas dos poucos que tenho, faço gosto e compartilho.


Um brinde ao caos. Um brinde a organização. Vaias para a ignorância. Essa jamais deverá ser aceita. 


:) Join us.



14 de mai de 2012

As mães.

Temo não ter todo o tempo do mundo com vocês.
Mãe para mim não é singular. Plural.

Tenho Mãe Lourdes, Mãe Marlene, Mãe Marlene Silva, Mãe Iraci, Mão Edna e tenho Mãe Maria (entidade).

Cada mãe eu trago comigo na minha essência e nos meus princípios. Cada uma a sua maneira.
De dona Lulu acho que consigo trazer o excesso de preocupação com os outros. E a simplicidade em gostar apenas de ficar juntinho, sem firulas.

Da mãe Marlene trago forte a questão da mania dos acessórios e bolsas. E da questão do perfeccionismo em tudo que eu faço.

Da mãe Marlene Silva trago a beleza das cores, do cheiro, do sorriso e do abraço forte. Trago comigo a religião. E a minha mania por artesanatos.

Da mãe Iraci também herdei a questão dos acessórios e unhas sempre esmaltadas. Mas também aquela coisa de querer sempre a família por perto e acima de tudo e todos.

De mãe Maria trago a vontade de fazer o bem sem olhar a quem. Mas não essas solidariedade de Ong´s em blog´s, estampadas em jornais. Essa coisa de olhar para quem está mais próximo mesmo: parentes e amigos.
Acender uma vela branca e rezar.

Da mãe Edna essa veio bem depois das outras e nem por isso sua importância diminui. Ela é amor puro. De religiões diferentes e de visões contrastantes sobre o mundo, mesmo assim conseguimos fidelizar o amor. Graças à ela tenho um parceirão dentro de casa. Ela cuida de cada um com maestria. Mesmo com tão pouco, ela faz o tiquim ser muito. Dá gosto de ficar o dia todo com ela proseando. Com ela aprendi que mesmo nos dias que a fartura está longe, o simples é o mais importante sempre. E dedicação e disciplina a vida ganha com isso.

E agradeço por tê-las tão perto e às vezes tão longe.
Mas sinto que cada passo dado com cuidado e a preocupação em tentar fazer o certo: devo à vocês.

Meu nome é minha assinatura.
Em cada coisa que faço só temo por errar, mesmo que seja inevitável. Mas que o erro seja simples e que só prejudique a mim mesma.

Abraço coletivo.







10 de mai de 2012

Decisões cansam. E muito.

Os tempos são outros.
Brincar de boneca, inventar histórias e estórias, guardar tudo na caixinha e descobrir que a fantasia continua. Isso parou aos quinze anos de idade.

Lá se vão mais 15.

Balzaca com crise?

Não.

Decisões sérias a curto prazo.
Quem me dera poder voltar no tempo.
Já que não pode. Pisa fundo cumpadi.

#BEIJOSGELADOS

17 de mar de 2012

Memória.

Da série "Minha vidinha demodé"

Hoje pode ser melhor que ontem. Assim é a expectativa do dia.

Mas as lágrimas que estavam tímidas no cantinho, decidiram passear pelo rosto cansado e farto do pouco caso.

Respirava fundo. E mexia sem parar nas migalhas de pão na mesa da cozinha. Uma distração.

Nunca a sensação de rejeição tinha sido tão forte. Tentava buscar respostas em atos mas o vazio vinha em direção.

Na hora pensou "um dia serei uma lembrança". Que seja.

Dessas lembranças que todo mundo tem quando descobre que perdeu alguém.


Muitas vezes perdemos para a morte e para a vida.

O pior é nem ser lembrado. Batalha perdida.

A vontade é de começar do zero. Mas em uma nova caminhada. Pois voltar a fazer os mesmos passos...é ser levado ao desespero.

Insistir nem sempre é a solução.

O tempo é traiçoeiro em certos momentos.

Vale olhar uma foto antiga para perceber que aquele velho sorriso nem sequer visita mais.

Mas nunca deixou de existir. Está na essência.

Um tiquim de bondade não faz tanta falta assim na sua coleção de sentimentos.

Doe. Usufrua um pouco.

Ao menos que esteja fazendo isso com outro alguém.

Vai na fé! Vai com Deus.




14 de mar de 2012

Pinterest


Mais uma indicação das boas:

Todo santo dia eu acesso o site Pinterest.com

A parte de DIY é mais fascinante. Eu sou total handmade.

Acessa lá e depois diga se curtiu ou não!

Forte abraço bicho!

7 de mar de 2012

Indicação


Leio vários blogs que indicam alimentos, roupas, maquiagens.

Eu indico hoje o programa 220 Volts que é transmitido pelo canal Multishow.

Paulo Gustavo é aquele artista completo.

Eu que adoro rir mas não gosto de muitas comédias da TV (aplausos falsos só Chaves salva) esse programa conquistou de vez.

Tanto é que já deixo programado o lembrete, com medo de esquecer (no Youtube e no site do Multishow nunca é feliz a minha busca pelos episódios).

Quer rir com piadas sensatas e criativas, eis uma dica boa. Pelo menos eu acho.

E sempre encerra do mesmo jeito, mas é sempre bem divertido.


2 de mar de 2012

Um pouquim de cada vez.


Oi!

Faz tempo né?

Desculpa aí. A vida não tá fácil e nem vou chorar as pitangas aqui.

O desemprego me deixa irritada, perdida feito barata tonta.

E a inspiração que antes transbordava, hoje não passa de visita Natalina.

Mas ela veio. Graças a uma pessoa:

Lícia Manzo.

Eu que não gosto de novelas (e não para ser cult não...odeio ver personagens que falam sozinhos e suspiram nos finais das frases) me peguei nesses 2 meses de desemprego vendo a novela dela. E chorando.

As cenas parecem quadros emoldurados. É uma riqueza na escolha dos diálogos.

Hoje no último capítulo o personagem Rodrigo escreveu um texto lindo sobre amor e renovação. Já escrevi sobre isso no blog e me encantei com o texto "dele".

E para não fugir daquilo que tanto acredito e escrevo, o post é sobre amor.

___________________________________________________________________

Ele veio.

Ficou.

Quis partir.

E no meio da dúvida, ele voltou.

Grande. Bonito. E com pinceladas de novidade.

O amor que temos não foi à primeira vista. Era só admiração de ambos os lados.

E acho que a virtude disso foi vê-lo crescer. Das pequeninas lembranças nas viagens, de escutar uma música, de ler algo e querer compartilhar algo. Pronto! Amor instalado.

Ele que antes quisera ser livre, hoje ainda é.

Mas o amor tem lá suas chatices. Seja a mãe pedindo para o filho levar a blusa e o guarda-chuva, a namorada não querendo desligar o telefone, sendo a esposa preocupada com a chegada do trabalho. Chatices do amor. Mas quem tem cuida. Esse é o ditado né?

Falo aqui do meu amor. Daquilo que sinto. E não do que eu acho em comum acordo.

E nesse amor que foi crescendo lentamente eu descobri uma Carolina velha. Dessas bem caduquinhas. E gosto desse novo estado de espírito. Me deu responsabilidade de enxergar o outro como algo valioso. Igual o amor de vó pelos netos.

É um amor que não bate, que não dá bronca. Só quer proteger.

Não sei se isso é bom. Não sei mesmo. E procuro de alguma forma não tentar achar grandes explicações, pois ei de criar regras que não funcionam.

Amanhã completo 2 anos e 2 meses de amor.

Bigó amado. Bigó querido. Bigó ranzinza. Bigó anti- BBB e coisas de TV.

Casou com uma radialista.

Casou com uma morena.

Sou fora dos seus padrões pré-estabelecidos :) *)

Casou casando. Do chinelinho esquecido intencionalmente. A vinda da tão famigerada escova de dente.

Assim foi. Assim é. E assim espero que seja pelo tempo que tenho em terra.

23 de fev de 2012

31 de jan de 2012

Coração!


Bate para mãe.
Bate para outra mãe.
Bate para pai.
Bate para padrasto.
Bate para irmãos de sangue.
Bate para irmãos vindos da amizade.
Bate para avós.
Bate para tios.
Bate para primos.
Bate para sogros.
Bate para amigos.
Bate para marido.
Bate para o felino.
Bate para a felicidade.


Bate mais forte quando encontro cores.
Ahhhh! E elas estão presentes em algumas pessoas que me cercam.
Não são resmungonas, não reclamam nem quando estão doentes.

Eu gosto daqueles que fingem ser fortes. Escondem doenças. Dos que se fazem vítimas só lamento. Um dia fui assim. Hoje corro contra isso.

O coração bate mais devagar com gente arrogante e com slogan de sinceridade demais gritando. Quem é sincero não faz alardes.
Como isso me irrita. Desculpe se você é assim e isso te basta. Siga em frente.

Só não espere a minha idolatria. Pois essa jamais existirá em casos assim.

Bate mais forte agora. Pois estou nesse momento ao lado de alguém com cores, sem pudores e que ainda finge ser forte.

Merci.

6 de jan de 2012

Fazendo passos diferentes!


A cada dia que passo fico mais fã do trabalho da simpática Camila Coelho.

Os tutorias que ela faz são sensacionais.

Você é beeem mulherzinha como eu logo vai curtir.

A moça só usa coisa boa...mas o mais importante são as técnicas.

Confesso que vi uns outros tutoriais toscos...dá até vergonha alheia mas indico mesmo o dela. Fiz o da chapinha em 15 minutinhos e funcionou.

Super beijos gatas.

Olha o link do blog da Camila:


http://supervaidosa.com/

E tem um de uma menina que já está aqui na minha barra de favoritos. Ela é beeem "simplona" e bem honesta.

Bem brejeira.

Vale a pena também:

http://www.morenaflormakeup.blogspot.com/

A foto é do meu cabelo...após a inspiração do blog da musa Camila.

Fui!

E FELIZ 2012.

3 de jan de 2012

2 anos.


2 anos.

Ao som de Maria Bethânia com a incrível "Foguete" eu dedico este humilde post àquele que me conquista todos os dias: meu careca rabiscado.

Obrigada por comemorar nossa Bodas de Papel ou algodão (o Google confunde às vzs)