Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

17 de mar de 2012

Memória.

Da série "Minha vidinha demodé"

Hoje pode ser melhor que ontem. Assim é a expectativa do dia.

Mas as lágrimas que estavam tímidas no cantinho, decidiram passear pelo rosto cansado e farto do pouco caso.

Respirava fundo. E mexia sem parar nas migalhas de pão na mesa da cozinha. Uma distração.

Nunca a sensação de rejeição tinha sido tão forte. Tentava buscar respostas em atos mas o vazio vinha em direção.

Na hora pensou "um dia serei uma lembrança". Que seja.

Dessas lembranças que todo mundo tem quando descobre que perdeu alguém.


Muitas vezes perdemos para a morte e para a vida.

O pior é nem ser lembrado. Batalha perdida.

A vontade é de começar do zero. Mas em uma nova caminhada. Pois voltar a fazer os mesmos passos...é ser levado ao desespero.

Insistir nem sempre é a solução.

O tempo é traiçoeiro em certos momentos.

Vale olhar uma foto antiga para perceber que aquele velho sorriso nem sequer visita mais.

Mas nunca deixou de existir. Está na essência.

Um tiquim de bondade não faz tanta falta assim na sua coleção de sentimentos.

Doe. Usufrua um pouco.

Ao menos que esteja fazendo isso com outro alguém.

Vai na fé! Vai com Deus.




14 de mar de 2012

Pinterest


Mais uma indicação das boas:

Todo santo dia eu acesso o site Pinterest.com

A parte de DIY é mais fascinante. Eu sou total handmade.

Acessa lá e depois diga se curtiu ou não!

Forte abraço bicho!

7 de mar de 2012

Indicação


Leio vários blogs que indicam alimentos, roupas, maquiagens.

Eu indico hoje o programa 220 Volts que é transmitido pelo canal Multishow.

Paulo Gustavo é aquele artista completo.

Eu que adoro rir mas não gosto de muitas comédias da TV (aplausos falsos só Chaves salva) esse programa conquistou de vez.

Tanto é que já deixo programado o lembrete, com medo de esquecer (no Youtube e no site do Multishow nunca é feliz a minha busca pelos episódios).

Quer rir com piadas sensatas e criativas, eis uma dica boa. Pelo menos eu acho.

E sempre encerra do mesmo jeito, mas é sempre bem divertido.


2 de mar de 2012

Um pouquim de cada vez.


Oi!

Faz tempo né?

Desculpa aí. A vida não tá fácil e nem vou chorar as pitangas aqui.

O desemprego me deixa irritada, perdida feito barata tonta.

E a inspiração que antes transbordava, hoje não passa de visita Natalina.

Mas ela veio. Graças a uma pessoa:

Lícia Manzo.

Eu que não gosto de novelas (e não para ser cult não...odeio ver personagens que falam sozinhos e suspiram nos finais das frases) me peguei nesses 2 meses de desemprego vendo a novela dela. E chorando.

As cenas parecem quadros emoldurados. É uma riqueza na escolha dos diálogos.

Hoje no último capítulo o personagem Rodrigo escreveu um texto lindo sobre amor e renovação. Já escrevi sobre isso no blog e me encantei com o texto "dele".

E para não fugir daquilo que tanto acredito e escrevo, o post é sobre amor.

___________________________________________________________________

Ele veio.

Ficou.

Quis partir.

E no meio da dúvida, ele voltou.

Grande. Bonito. E com pinceladas de novidade.

O amor que temos não foi à primeira vista. Era só admiração de ambos os lados.

E acho que a virtude disso foi vê-lo crescer. Das pequeninas lembranças nas viagens, de escutar uma música, de ler algo e querer compartilhar algo. Pronto! Amor instalado.

Ele que antes quisera ser livre, hoje ainda é.

Mas o amor tem lá suas chatices. Seja a mãe pedindo para o filho levar a blusa e o guarda-chuva, a namorada não querendo desligar o telefone, sendo a esposa preocupada com a chegada do trabalho. Chatices do amor. Mas quem tem cuida. Esse é o ditado né?

Falo aqui do meu amor. Daquilo que sinto. E não do que eu acho em comum acordo.

E nesse amor que foi crescendo lentamente eu descobri uma Carolina velha. Dessas bem caduquinhas. E gosto desse novo estado de espírito. Me deu responsabilidade de enxergar o outro como algo valioso. Igual o amor de vó pelos netos.

É um amor que não bate, que não dá bronca. Só quer proteger.

Não sei se isso é bom. Não sei mesmo. E procuro de alguma forma não tentar achar grandes explicações, pois ei de criar regras que não funcionam.

Amanhã completo 2 anos e 2 meses de amor.

Bigó amado. Bigó querido. Bigó ranzinza. Bigó anti- BBB e coisas de TV.

Casou com uma radialista.

Casou com uma morena.

Sou fora dos seus padrões pré-estabelecidos :) *)

Casou casando. Do chinelinho esquecido intencionalmente. A vinda da tão famigerada escova de dente.

Assim foi. Assim é. E assim espero que seja pelo tempo que tenho em terra.