Sinta-se em casa!

Entre e deixe a porta aberta.
Aguenta firme que vou ali pegar uma breja.

31 de jan de 2012

Coração!


Bate para mãe.
Bate para outra mãe.
Bate para pai.
Bate para padrasto.
Bate para irmãos de sangue.
Bate para irmãos vindos da amizade.
Bate para avós.
Bate para tios.
Bate para primos.
Bate para sogros.
Bate para amigos.
Bate para marido.
Bate para o felino.
Bate para a felicidade.


Bate mais forte quando encontro cores.
Ahhhh! E elas estão presentes em algumas pessoas que me cercam.
Não são resmungonas, não reclamam nem quando estão doentes.

Eu gosto daqueles que fingem ser fortes. Escondem doenças. Dos que se fazem vítimas só lamento. Um dia fui assim. Hoje corro contra isso.

O coração bate mais devagar com gente arrogante e com slogan de sinceridade demais gritando. Quem é sincero não faz alardes.
Como isso me irrita. Desculpe se você é assim e isso te basta. Siga em frente.

Só não espere a minha idolatria. Pois essa jamais existirá em casos assim.

Bate mais forte agora. Pois estou nesse momento ao lado de alguém com cores, sem pudores e que ainda finge ser forte.

Merci.